quarta-feira, 12 de abril de 2017

FORAGIDA, CONDENADA POR SEQUESTRO DE EMPRESÁRIO MOSSOROENSE É PRESA PELA POLÍCIA CIVIL DO RN

RN-Policia.
                             
                           G1/RN
Policiais civis prenderam, nesta segunda-feira (11), em Parnamirim, a foragida da Justiça Bruna Pinho Landim. Ela é condenada pelo sequestro empresário mossoroense Porcino Fernandes Segundo, o Popó Porcino, ocorrido em 2012, mas estava foragida do Sistema Penitenciário potiguar.

Bruna foi localizada e capturada por policiais da 1ª Delegacia de Parnamirim, no bairro de Bela Vista. Ela tem condenação de 14 anos e seis meses de prisão em regime fechado por extorsão mediante sequestro e formação de quadrilha.
O empresário Popó Porcino foi sequestrado em um parque de vaquejada na cidade de Ceará-Mirim, na Grande Natal, no dia 17 de junho de 2012, sendo libertado pela polícia em 24 de julho. O sequestro foi o mais longo do Rio Grande do Norte.

A Polícia Civil do Rio Grande do Norte estourou o cativeiro onde estava Popó Porcino no dia 24 de julho de 2012. O estouro do cativeiro e a descoberta de uma residência na cidade de Parnamirim – também na região metropolitana – onde parte da quadrilha estava acampada, aconteceu simultaneamente. "Iniciamos a investigação logo após a confirmação de que o empresário estava sequestrado. Tínhamos a informação de que o grupo estava dividido entre Pitangui e Parnamirim. Nos dividimos e simultaneamente estouramos os dois pontos", explicou o comandante geral da Polícia Militar do RN, coronel Francisco Canindé de Araújo Silva.

A Justiça do Rio Grande do Norte condenou cinco dos nove acusados de envolvimento no sequestro do empresário. Três pessoas foram absolvidas e uma foi excluída do processo por estar foragida. Os acusados foram condenados pelos crimes de extorsão mediante sequestro, formação de quadrilha, roubo majorado e porte ilegal de arma de fogo. No total as penas somam 107 anos e nove meses de prisão, a serem cumpridos em regime fechado em todos os cinco casos.

A maior pena foi a de Paulo Victor Lopes Monteiro, condenado a 31 anos por extorsão mediante sequestro, formação de quadrilha, roubo majorado e porte ilegal de arma de fogo. O réu foi absolvido dos crimes de sequestro e cárcere privado contra Sandrielio Constantino Veríssimo da Silva, tratador de cavalos que também foi levado no sequestro de Popó Porcino, mas acabou liberado pelos acusados.
Paulo Victor é apontado como um dos líderes da quadrilha, que segundo a sentença, também era chefiada pelos acusados José Orlando Evangelista Silva e Orlandina Torres Carneiro, ambos condenados.

Os dois outros acusados apontados como líderes da quadrilha foram condenados por extorsão mediante sequestro e formação de quadrilha. Orlandina Torres Carneiro recebeu sentença de 19 anos e nove meses de prisão. Já José Orlando Evangelista Silva recebeu pena de 16 anos e seis meses pelos dois crimes.


Os demais condenados são Anderson de Sousa Nascimento, sentenciado a 26 anos de prisão por extorsão mediante sequestro, roubo majorado, formação de quadrilha e porte ilegal de arma, e Bruna de Pinho Landim, condenada a cumprir 14 anos e seis meses de prisão em regime fechado por extorsão mediante sequestro e formação de quadrilha. Assim como Paulo Victor, Anderson Nascimento foi absolvido do sequestro e cárcere privado do tratador de cavalos.
Postar um comentário