segunda-feira, 19 de junho de 2017

ACUSADO DE ENVIAR PARA O RIO 60 FUZIS TEM EMPRESA DE EXPORTAÇÃO NA FLÓRIDA


Foto: (Reprodução/TV Globo)
Reportagem do Fantastico.
Frederik Barbieri foi acusado pela polícia brasileira de mandar para o Rio de Janeiro 60 fuzis apreendidos no dia 1º de junho, como você viu no Fantástico. Os fuzis vieram de Miami, na Flórida, e estavam escondidos em aquecedores de piscina. Depois da exibição da reportagem, Frederik telefonou para o Fantástico e negou ser o dono dos fuzis, mas confirmou que vive na Flórida.
O Fantástico descobriu que uma empresa  de importação e exportação em nome dele funciona em um endereço, em Saint Lucie, na Flórida. No mesmo telefonema, Frederick citou outras duas atividades. A polícia e a Justiça do Brasil entendem outra coisa.
Para entender quem é Frederik Barbieri, é preciso separar duas histórias. A primeira é de 2010. Uma carga de munição para fuzis estava em um contêiner em nome dele, apreendido no porto de Salvador. Frederik fugiu para os Estados Unidos, onde conseguiu a cidadania americana. Em 2015, ainda pelo caso da Bahia, foi expedido um mandado de prisão por tráfico internacional de armas, e Frederik se tornou foragido da Justiça brasileira.
O Ministério Público pediu a inclusão dele na lista de procurados da Interpol, mas o pedido foi negado. Justificando a negativa, o juiz Antonio Oswaldo Scarpa argumentou que Frederik tem endereço conhecido nos Estados Unidos.
O Fantástico apurou que o endereço fornecido por Frederik é o de uma casa, também em Saint Lucie, na Flórida, de quatro quartos, bem equipada, que Fred botou à venda na semana passada pelo equivalente a 1 milhão de reais.

A reportagem descobriu também que ele comprou outra casa, na mesma cidade, no dia 17 de maio, duas semanas antes da apreensão dos fuzis no Rio. O processo de 2010 ainda não foi concluído. Veja tudo na reportagem acima.