sábado, 24 de junho de 2017

POLÍTICA ESTADUAL - O PMDB DO RIO GRANDE DO NORTE ESTÁ A DERIVA, SEM COMANDO, SEM LENÇO, SEM DOCUMENTO E PROVAVELMENTE SEM O FUNDO PARTIDÁRIO PARA 2018 ...



Desde que o presidente do diretório estadual, Henrique Eduardo Alves, foi preso no dia 06 de junho na operação MANUS, o PMDB, como partido mesmo, está praticamente parado...

De direito ainda há comando, mas de fato o partido está, como diz no ditado popular, “ao Deus dará”...

Não há um presidente e não aparece ninguém para falar por ele...

 
Pelo menos dá uma satisfação a sociedade potiguar... O próprio senador Garibaldi Filho, a maior expressão eleitoral da agremiação no Estado, um dos morubixabas da legenda, não apareceu para dá sequer um pio...

 
Preso para não atrapalhar as investigações de que é suspeito de organizar um grande esquema de propina para compra de votos durante a campanha de 2014, desvios de dinheiro do FGTS e ter conta no exterior, Henrique Alves não delibera nada pelo partido... Quem poderia vir a assumir seria o vice, o deputado federal Walter Alves, porém Walter nem assume, nem demonstra interesse em assumir a Presidência...

Estranho né ? ...

Aliados que têm procurado Walter, têm dito que ele anda com medo de pegar a Presidência... Sim... O que mais se comenta é o medo de Waltinho, como diz seu papai senador, em terminar virando alvo de ataques políticos e até investigações...

Ele, que anda “mergulhado” com medo das repercussões negativas provocadas pelas reformas do governo do presidente e aliado Michel Temer, não quer ganhar holofote como presidente do PMDB potiguar...

Por enquanto, o deputado apenas ignora o partido... Finge que nem existe... Inclusive, ele não pisa na sede há muito tempo, parece que por lá tem alguma espécie de 'Peste Verde'... Aliás, quem é próximo do deputado sabe que ele comanda de fato o PTB no Estado...

Se Walter não quiser assumir, o segundo vice-presidente é o deputado estadual Nélter Queiroz... Nélter é considerado um verdadeiro “homem-bomba” por outros filiados do PMDB...

Tanto por ter uma postura independente como inconsequente....

Além disso é aliado do governador Robinson Faria desde o primeiro dia de governo e foi citado na coletiva desta semana pelos procuradores do MPF como tendo ameaçado o próprio Henrique Alves por causa de um cheque não honrado relacionado a campanha de 2014...

Nesse imbróglio, o partido segue seus dias sem rumo correndo o risco até de não conseguir liberar o fundo partidário... Sim... O partido pode ficar sem o famoso dinheiro usado para custear a manutenção... Algumas pessoas, entre elas funcionários e políticos, estão correndo para arrumar um jeito de não perder a verba...

O risco existe e é grande...

Os próprios prefeitos e vereadores que trabalharão nas eleições do próximo ano para eleger seus deputados não sabem o que fazer... Se assoviam ou chupam cana...  Não sabem a quem procurar... Estão tão sem diálogo com o partido que o único meio de conseguir uma orientação é exatamente no contato direto dos deputados com quem têm o apoio mútuo...


A insegurança e a aflição de filiados importantes é grande...