sábado, 17 de junho de 2017

PRF FAZ MAIOR APREENSÃO DO ANO DE ARMAS E MUNIÇÕES CONTRABANDEADAS DO PARAGUAI

PR-Policia.
Assecom/PRF/PR
Agentes da Polícia Rodoviária Federal (PRF) apreenderam 56 pistolas escondidas em um veículo Ford Belina abordado em Santa Terezinha de Itaipu, região oeste do Paraná. Esta foi a maior apreensão de armas feita pela corporação este ano no Paraná e no Brasil. O carregamento está avaliado em mais de R$ 150 mil.
As armas foram localizadas sob o fundo falso do carro. Os agentes apreenderam 30 pistolas da marca Glock, das quais 25 de calibre 9mm e cinco de calibre 0.40, além de 26 pistolas Taurus de calibre 9mm.
De acordo com a corporação, por volta das 9h, um veículo Ford Belina foi abordado na BR-277, em frente a uma unidade operacional da PRF. Os agentes descobriram que havia um fundo falso no assoalho do automóvel.
Casal com bebê O veículo era ocupado por um casal, ambos com 37 anos de idade. Um bebê de um ano, filho do casal, também estava no carro, assim como uma outro mulher de 32 anos. A esposa carregava consigo 50 munições de calibre 9mm coladas com fita adesiva junto ao corpo. Também havia munições grudadas no corpo do bebê.
O casal e a mulher foram presos em flagrante pelos policiais rodoviários federais. Eles afirmaram residir em Curitiba e não revelaram o destino final das armas. A criança foi encaminhada ao Conselho Tutelar de Santa Terezinha de Itaipu.
O crime de tráfico internacional de armas de fogo de uso restrito prevê penas de até 12 anos de prisão.
Contrabandistas de armas presos no MS A Polícia Federal (PF) deteve na terça-feira, em Campo Grande (MS), três homens com idades entre 21 e 23 anos e uma mulher de 25 anos acusados de integrar uma quadrilha especializada no contrabando de armas do Paraguai e que planejava resgatar o líder do grupo, que já estava preso na capital sul-mato-grossense. Com a quadrilha foram apreendidas muitas armas, algumas de uso restrito. Além de munições, coletes à prova de bala e veículos.
Plano de tentar resgatar o líder da quadrilha De acordo com o delegado delegado federal Caio Martins, responsável por coordenar a Operação Cerberus, o “grande poderio bélico” seria empregado em um ousado plano de tentar resgatar o líder da quadrilha, Tiago Vinícius Vieira, 31 anos, quando ele deixasse a cela onde cumpre pena, no Estabelecimento Penal de Segurança Máxima de Campo Grande, para ser levado, com escolta policial, para uma consulta médica, no próximo dia 19.
Esta seria a segunda tentativa de fuga de Vieira. Em março, quando ainda estava detido no Presídio de Segurança Média de Três Lagoas (MS), policiais encontraram em sua cela uma pistola calibre 380. O que motivou sua transferência para a unidade de segurança máxima de Campo Grande.
Apoio da namorada Após vira para a capital do MS, Vieira passou a contar com o apoio de sua namorada e dos três comparsas presos para contrabandear armas de fogo do Paraguai para a Região Sudeste.

Conforme o delegado Caio Martins, o plano de resgate do grupo previa a rendição e o possível assassinato dos agentes penitenciários que estivessem escoltando Vieira para a consulta médica.