quinta-feira, 20 de julho de 2017

Um grupo de paraibanos está retido em Bariloche

Argentina-Geral.
                                                        Divulgação
Aeroporto de Bariloche
Um grupo de paraibanos está retido em Bariloche, na Argentina, por conta de uma nevasca que afeta a Região Sul do Continente. Por conta disto, o Ministério das Relações Exteriores informou que acompanha de perto a situação dos brasileiros. Em nota, o Itamaraty informa que a Embaixada do Brasil, em Buenos Aires, já fez contatos com autoridades argentinas sobre apoio ao grupo de cidadãos brasileiros retidos em Bariloche, em especial às famílias com crianças.
O aeroporto de Bariloche vem operando com as limitações impostas pelas condições climáticas adversas, dando prioridade à segurança dos vôos. Dos brasileiros que estão retidos no aeroporto, pelo menos oito deles (quatro casais) são paraibanos, que estão no aeroporto desde a segunda-feira (17). O grupo saiu de João Pessoa para Bariloche e está na expectativa de embarcar ainda nesta quarta-feira (19).
De acordo com Luciano Lappa, diretor da Lappa Viagens, o grupo está tendo total assistência da empresa e mantendo contato diário na busca de encontrar a melhor maneira de mantê-los seguros e prestando apoio. “Nossa prioridade agora é buscar a melhor forma de acomodá-los e tranquilizá-los, pois é uma situação atípica, que foge do controle de todos, mas que deve ser resolvido o mais rápido possível”, disse Lappa.
O empresário afirma que o fator climático é uma surpresa desagradável tanto para as agências de viagens como, principalmente, para os clientes, mas eles acontecem. No caso de Bariloche, cujo a temperatura chegou a menos 25 graus e com ocorrência de uma nevasca, esse fenômeno não acontecia há mais de 52 anos. O importante nesse momento, enfatiza Lappa, é não deixar os clientes desassistidos.
“É imprescindível esse contato direto com os nossos clientes para que eles não se sintam abandonados. Se Deus quiser tudo deve ser resolvido hoje e eles retornarão a João Pessoa com mais uma história para contar do passeio”.
Portal Correio