segunda-feira, 17 de julho de 2017

BRASIL; ‘Nunca haverá um novo PT’, diz especialista americana

BR-Politica.
Coletiva de imprensa de Lula em São Paulo no dia 13 de julho de 2017
O lugar do Partido dos Trabalhadores na política brasileira não será ocupado após os escândalos de corrupção envolvendo o partido. Nem o próprio PT pode retomá-lo, nem esse espaço se apresenta viável a outras siglas nesse momento. É o que diz Wendy Hunter, professora da Universidade do Texas e especialista em política da América Latina.

“Os elementos que formaram o PT – a organização durante a Ditadura, a relação única com suas raízes, o líder carismático, a oposição ao neoliberalismo durante os anos 1990 – dificilmente se reunirão em um só partido novamente”, afirma à BBC Brasil.

“Pode haver partidos surgindo com líderes populares, mas o PT precisou de três décadas para criar a organização que criou.”

De olho nos acontecimentos recentes no país, Hunter falou à BBC Brasil por e-mail, durante as férias, no Quênia.

Autora do livro The Transformation of the Workers’ Party in Brazil, 1989-2009 (A Transformação do Partido dos Trabalhadores no Brasil, em tradução livre), ela diz que uma reforma completa do PT neste momento só poderia ocorrer com o partido fora do poder.

Em sua opinião, caso Lula vença o pleito de 2018, isso não ocorreria, portanto.

Hunter analisa que a falta de uma agenda econômica que ofereça respostas factíveis à crise econômica e da adoção de temas que possam galvanizar apoio entre eleitores descrentes são dois fatores que aprofundam as dificuldades eleitorais do partido e da esquerda em todo o continente.
“O discurso da redistribuição de riqueza não pode se concretizar realmente em meio à crise econômica”, afirma.
BBC
 



Postar um comentário