domingo, 9 de julho de 2017

BRASIL; Preso desde setembro de 2016, Palocci acusa Mantega

BR-Politica.
Preso desde setembro de 2016, Palocci acusa Mantega
A aguardada delação premiada do ex-ministro Antonio Palocci promete expor ainda mais as artimanhas do governo petista para se manter no poder. Para conseguir uma prisão domiciliar para a pena de 12 anos por corrupção e lavagem de dinheiro, o ex-ministro Palocci está negociando com a Justiça um acordo onde deve declarar que o seu sucessor na pasta, Guido Mantega (ex-ministro de Lula e de Dilma), montou uma espécie de central de vendas de informações para o setor financeiro durante os governos petistas em troca de apoio, segundo o jornal Folha de S.Paulo.
Segundo a delação negociada por Palocci, as negociatas de Guido Mantega aconteciam na sede do Ministério da Fazenda, na avenida Paulista, em São Paulo, às sextas-feiras.
Mantega antecipava informações sobre medidas provisórias e alterações nas taxas de juros, assim os bancos poderiam se antecipar e se preteger contra ações que afetariam o setor.
Os advogados de Mantega, porém, disseram que o ex-ministro viu como “estranheza” as supostas denúncias que Palocci poderá fazer contra ele.
Palocci está preso desde setembro de 2016 e a delegação ainda não foi assinada, por isso, ainda pode haver mudanças no conteúdo do texto. Os procuradores querem que o ex-ministro Palocci confirme também as acusações contra Lula feitas nas delações dos executivos da Odebrecht.
Outro ponto que Palocci pode esclarecer na delação é o suposto benefício financeiro obtido por Lula com a criação da Sete Brasil, em 2010.
 
Postar um comentário