segunda-feira, 17 de julho de 2017

BRASILIA; Emenda para base na CCJ atinge R$ 266 mi

DF-Politica.
CCJ
Dos 40 deputados que votaram pela rejeição do parecer que recomendava a abertura de investigação contra o presidente Michel Temer na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara, 39 tiveram R$ 266 milhões em emendas parlamentares empenhadas. Esse valor corresponde ao período entre junho, após a divulgação da delação do empresário Joesley Batista, que foi usada na denúncia contra Temer, e as duas primeiras semanas deste mês, às vésperas da votação.
Na quinta-feira passada, o colegiado barrou por 40 votos a 25 o parecer do relator Sergio Zveiter (PMDB-RJ) que recomendava a admissibilidade do pedido da Procuradoria-Geral da República para investigar Temer por corrupção passiva. Em seguida, governistas conseguiram aprovar um texto alternativo que sugere a rejeição do mesmo pedido, assinado pelo deputado Paulo Abi-Ackel (PSDB-MG).
Apenas um dos 40 parlamentares que barraram o parecer de Zveiter não teve emendas liberadas desde junho: Maia Filho (PP-PI), que é suplente.

Já os 25 parlamentares que votaram contra Temer receberam cerca de metade desse valor no mesmo período. Foram liberados R$ 135 milhões em emendas dos cofres públicos para os deputados que acreditam haver indícios suficientes para uma investigação contra o presidente.
Fonte.Estadão

Por Chagas Silva
Nem contra nem a favor, só quero entender.
Só quero compreender essa questão, se denuncia foi feita e o Presidente Temer está se cagando de medo e tentando de todas as formas provar sua inocência?, que me desculpem a minha santa ignorância, eu só posso pensar que nessas denuncias tem algo de verdade.
Caso contrario o Sr. Temer não estaria tão desesperado assim, até porque num tá “escrito” na LEI, “A quem acusa cabe o ônus da prova?”, então temer, porque o desespero e a compra da consciência dos Deputados pra não aprovar a abertura da investigação?
Se bem que consciência de politico é igualzinha à consciência de RATO, você põe veneno no queijo e ele ainda rouba e come.