terça-feira, 4 de julho de 2017

INTERNACIONAL; Corte Suprema respalda lei marcial no sul das Filipinas

Internacional-Politica.
Corte Suprema das Filipinas respaldou nesta terça-feira (4) a proclamação da lei marcial pelo presidente Rodrigo Duterte na região sul do país.

Soldados carregam corpo de colega morto durante combates entre forças estatais e Estado Islâmico, no sul das Filipinas (Foto: RICHELE UMEL / AFP)
Soldados carregam corpo de colega morto durante combates entre forças estatais
e Estado Islâmico, no sul das Filipinas 
 (Foto: RICHELE UMEL / AFP)

O chefe de Estado considera a medida necessária para combater os extremistas ligados ao grupo Estado Islâmico (EI) que tem atuado no sul do país.
Duterte anunciou a lei marcial na região de Mindanao, abalada pela insurgência islamita, em 23 de maio, horas depois da ocupação de parte da cidade de Marawi por centenas de homens armados e com bandeiras do EI. Os combates tiveram início após o fracasso de uma operação militar para prender Isnilon Hapilon, líder do grupo jihadista Abu Sayyaf, também vinculado ao EI, e que permanecia protegido por membros do Maute.
Os confrontos com o exército prosseguem há mais de um mês na localidade, o que caracteriza a maior crise de segurança interna do país em anos e já provocou o deslocamento de milhares de pessoas.
Parlamentares da oposição haviam solicitado à Corte Suprema a suspensão da lei marcial "por falta de fundamento".
No entanto, os juízes rejeitaram o pedido, informou o porta-voz do tribunal, Theodore Te, que não divulgou os argumentos usados para basear a decisão.
O governo filipino organizou uma grande campanha de bombardeios aéreos contra os insurgentes e uma ofensiva terrestre ao redor de Marawi, mas não conseguiu expulsar os extremistas.