terça-feira, 11 de julho de 2017

BRASIL; Plano Nacional para tratamento da cardiopatia congênita será lançado nesta terça-feira

BR-Saúde

Solenidade contará com a presença de autoridades do governo, representantes das sociedades médicas de cardiologia, pediatria e da associação Pequenos Corações
 
Daqui a pouco, às 11h30, acontecerá o lançamento do Plano Nacional de Assistência à Criança com Cardiopatia Congênita. A solenidade será realizada no Instituto do Coração do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (InCor HCFMUSP) - Avenida Dr. Enéas de Carvalho Aguiar, 44 - e contará com a presença de autoridades do governo, representantes das sociedades médicas de cardiologia, pediatria e da Associação de Assistência à Criança Cardiopata (AACC) Pequenos Corações.
O programa foi elaborado a várias mãos, por um comitê de especialistas da Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC), Sociedade Brasileira de Cirurgia Cardiovascular (SBCCV), Sociedade Brasileira de Hemodinâmica e Cardiologia Intervencionista (SBHCI) e pela Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP). Entregue em agosto de 2012 ao Ministério da Saúde, o documento enfatiza a preocupação primordial em salvar vidas. Dados epidemiológicos evidenciam que das 21.000 crianças com o diagnóstico de cardiopatia congênita no Brasil, com indicação para cirurgia ou intervenção percutânea, cerca de 62% delas não têm acesso a estes tratamentos. Se analisados os números da região Norte, o déficit atinge 91% e nas regiões Nordeste e Centro Oeste, 74%. O reflexo é o elevado índice de mortalidade, considerando que mais de 70% dessas crianças têm potencial de cura se a chance do tratamento for oferecida.
Conquista: mais cirurgias!
Leia mais

Dentre os objetivos do Plano, a correção na tabela defasada desde 2005 e a mudança no financiamento da cirurgia cardiopediátrica são consideradas uma das mais importantes conquistas pela AACC Pequenos Corações. “Até então, é feito um repasse financeiro único, por meio de convênio, para que os hospitais administrem o montante para as cirurgias durante o ano. Porém, chegando ao seu limite, o valor não é complementado e uma situação comum é chegar nos meses de setembro e outubro sem mais recursos, o que significa a impossibilidade de marcar as cirurgias. Com isso, as equipes médicas precisam buscar outros meios para conseguirem atender os pacientes, inviabilizando vários tratamentos. Agora, esse “teto limitado” será retirado e os hospitais que contam com os recursos federais, conforme critérios prévios estabelecidos, poderão realizar as cirurgias cardiopediátricas para, então, serem pagos pelos procedimentos”, explica Janaina Souto, diretora da Pequenos Corações.
Desde 2010, a AACC tem atuado em defesa das crianças cardiopatas em território nacional, representando a sociedade civil, na cobrança e fiscalização de medidas de políticas públicas que possam contribuir para mudanças no atendimento e no caótico cenário de mortalidade infantil no país.
Em maio de 2015, Janaina, também advogada, representou a associação na audiência pública do Senado e relatou, emocionada, o drama e o desespero de milhares de famílias que estão perdendo seus filhos enquanto aguardam, angustiadas, nas filas por atendimentos, cirurgias e tratamentos. “São necessários mais de 4 mil cateterismos e não são feitos nem 800 por ano. Nossos filhos estão sendo sepultados. As crianças que precisam de atendimento, com urgência, não encontram leitos em muitos Estados. Buscamos o Ministério Público em caráter de emergência, mas liminar não abre vaga, não amplia leitos e não resolve o problema que é crônico: a total falta de infraestrutura nos hospitais”, desabafou. Confira o vídeo!
A participação da AACC nesta audiência ganhou grande repercussão, abrindo espaço para que a discussão fosse ampliada nos anos seguintes. “Estamos esperançosos por melhores notícias com a aplicação efetiva deste Plano Nacional. Nós temos colaborado com os especialistas na elaboração desta importante ferramenta, a qual estabelece a normatização e a padronização no atendimento às cardiopatias congênitas. Nossa expectativa é a mesma de milhares de pais, familiares e das equipes médicas: salvar nossas crianças!”, defende Janaina.

Mais informações com Adriana Marques (43) 98415-7931, Patricia Drummond (11) 99978-8071 ou Janaina Souto (61) 98208-2292 . Também por e-mail: patricia@pequenoscoracoes.com ou brasilia@pequenoscoracoes.com

Atenciosamente,
Adriana Marques
Jornalista | MTB PR 3984
Assessoria de Imprensa AACC Pequenos Corações

43 98415.7931 | adriana@ciin.com.br
Postar um comentário