domingo, 6 de agosto de 2017

VENEZUELA; Militares se rebelam no norte da Venezuela, mas são rendidos, afirma governo

VEN-Politica.

Uma pessoa está morta e outra foi gravemente ferida. Segundo Desdado Cabelo, 'vários terroristas' foram detidos durante incidente.
Militares venezuelanos que aparecem em vídeo protestando contra governo de Nicolas Maduro (Foto: HO / HANDOUT / AFP)
Militares venezuelanos que aparecem em vídeo protestando contra governo de Nicolas Maduro
(Foto: HO / HANDOUT / AFP)

U
m grupo de militares do chamado Forte Aramaçã, no estado de Cara bobo, na Venezuela, promoveu um levante neste domingo (6) contra o governo de Nicolás Maduro. Segundo a agência France Presse, uma pessoa foi morta e outra está gravemente ferida.
O dirigente chavista Desdado Cabelo informou que o grupo foi rendido por outros membros das Forças Armadas.
Ainda segundo o relato do político, foram ativados planos de defesa e tropas foram deslocadas para garantir a segurança no local.
O chefe do Comando Estratégico Operacional da Força Armada Nacional Bolivariana (CEO-FANB), almirante Remígio Cebolos, afirmou que, dos 20 militares que tomaram o controle do Forte Aramaçã, no estado de Cara bobo, no centro-norte do país, sete pessoas foram detidas e "estão contribuindo com informações".
O ministro da Defesa, o general Vladimir Padrino, reagiu ao ocorrido com uma mensagem no Witter.
"Não puderam com a FANB, com sua moral, nem com a sua consciência constitucional; agora pretendem agredi-la com ataques terroristas. Não poderão", disse. 
Cabelo fez o anúncio da rebelião logo após a divulgação de um vídeo que mostra um grupo de homens em uniforme militarem anunciando uma rebelião e pedindo uma ampla revolta contra o presidente Nicolás Maduro.
Nas imagens, um grupo de 20 homens com trajes militares e armas acompanha um porta-voz, identificado como capitão Juan Caguaripano, que se declara em rebeldia contra "a tirania assassina de Nicolas Maduro".
A base militar tomada pelos insurgentes, de acordo com a agência, fica na cidade de Valência, a cerca de 160 quilômetros de Caracas, e tem o principal conjunto de blindados do exército venezuelano.
Nos últimos meses, vários militares foram detidos pela Contra inteligência Militar venezuelana por estarem envolvidos com supostos planos de insurreição, entre eles alguns generais, mas as autoridades reiteraram o respaldo firme da FANB ao governo.
Manifestantes
Dezenas de pessoas se manifestaram apoio ao grupo de militares que se rebelou. Os manifestantes, moradores do chamado Forte Aramaçã, onde o levante aconteceu, foram dispersos pelas forças de segurança enquanto cantavam o hino nacional e gritavam palavras de apoio aos militares insurgentes.
Manifestantes protestam contra o governo de Nicolas Maduro em frente a base militar em Valencia, na Venezuela (Foto: AP Photo/Juan Carlos Hernandez)
Manifestantes protestam contra o governo de Nicolas Maduro em frente a base militar
 em Valencia, na Venezuela (Foto: AP Photo/Juan Carlos Hernandez)
O ato começou após a divulgação da notícia de que homens com uniformes militares invadiram o quartel com o objetivo de tentar tomar seu controle, mas foram detidos pelas Forças Armadas. Os primeiros manifestantes começaram a pedir a pedestres que passavam pelas imediações da base para que se unissem a eles.
Por G1
Postar um comentário