quarta-feira, 25 de outubro de 2017

BRASIL; Na CPMI da JBS, ex-presidente da Caixa admite pressão de Cunha

BR-Politica.
Eduardo Cunha
O ex-presidente da Caixa Econômica Federal Jorge Hereda disse que foi pressionado pelo ex-presidente da Câmara dos Deputados Eduardo Cunha, em setembro de 2014, a acelerar uma operação da estatal que o peemedebista tinha interesse. Durante depoimento da Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) da JBS, Hereda contou que Cunha chegou a ameaçar convocá-lo para depor na CPI da Petrobras, como forma de pressão para que resolvesse a pendência.
“Encontrei Eduardo Cunha quatro vezes. Duas vezes em reuniões na Caixa, uma vez aqui (no Congresso Nacional) e uma vez na residência da Câmara dos Deputados. Eu fui pressionado no gabinete do então presidente da Câmara (Eduardo Cunha), que me ligou, entre agosto e setembro de 2014. Ele estava agoniado com uma operação da Caixa, que acho até que não saiu. E nós tínhamos uma operação com a Petrobras. Ele me disse que, se não saísse as outras, essa (da Petrobras) não ia sair. E que eu ia ser chamado na CPI da Petrobras”, contou Hereda

O ex-presidente também falou sobre as acusações que envolvem o ex-vice-presidente da Caixa Econômica Fábio Cleto, que era aliado de Cunha e assinou acordo de delação premiada. Hereda disse que não pode recusar a indicação de Cleto porque ele tinha currículo para o cargo. As informações são da Agência Estado.
Postar um comentário