segunda-feira, 23 de outubro de 2017

GOIÂNIA; Justiça manda internar estudante que matou 02 e feriu 04 em escola no GO.

RN-Policia.
 
O Ministério Público do Estado de Goiás recomendou na tarde deste sábado a internação provisória por 45 dias do adolescente de 14 anos que abriu fogo em um colégio de Goiânia (GO) na última sexta, matando dois colegas e deixando outros quatro feridos. Horas depois, a juíza plantonista Mônica Cézar Moreno Senhorello acatou o pedido.
O autor do ataque, cuja identidade não foi revelada, foi ouvido neste sábado pelo promotor de Justiça Cássio Sousa Lima, que recomendou que, por segurança, o atirador seja alojado em local separado de outros jovens em privação de liberdade. O jovem deverá se apresentar ao Juizado da Infância e Juventude na próxima segunda-feira para prestar depoimento.
O atirador está na Delegacia de Polícia de Apuração de Atos Infracionais (Depai) e passará 45 dias no Centro de Internação Provisória (CIP) de Goiânia. A juíza Mônica Senhorello determinou que “a autoridade encarregada do referido local deverá zelar pela segurança e cuidado com a integridade física do adolescente”.
O pai do jovem e a advogada da família, Rosangela Magalhães, acompanharam o depoimento do garoto neste sábado. Segundo Rosangela, a mãe está internada em estado de choque.
O adolescente foi apreendido em flagrante na sexta-feira, após atirar contra colegas no Colégio Goyazes, no bairro Conjunto Rivieira. Filho de policiais militares, ele usou a arma da mãe, levada à escola particular escondida dentro de uma mochila. Segundo a Polícia Civil, o rapaz sofria bullying e o crime foi premeditado.
O adolescente alegou que sofria bullying no colégio e disse ter se inspirado nos casos de Columbine, nos Estados Unidos, e Realengo, no Rio de Janeiro, em que atiradores também abriram fogo dentro de escolas.
 



Postar um comentário