sábado, 14 de outubro de 2017

PADRE JAILDO SOUTO chama de imaturo e leigo vereador que chamou imagem de Nossa Senhora de ‘maldição’

RN-Geral.
O
 ex-pároco da cidade de Pitimbu, no Litoral Sul do estado, o padre Jaildo Souto, repudiou e criticou a postura do vereador Zico (PSDC) 
ao declarar que a imagem de Nossa Senhora Aparecida, padroeira do Brasil, que de acordo com o parlamentar seria colocada na entrada da cidade, é uma ‘maldição’. O padre o chamou de ‘imaturo’ e ‘leigo’. 
Adicionar legenda
Em um áudio que circula nos grupos de WhastApp, o padre disse que faltou ‘maturidade política’ quando o vereador tomou a decisão de atrelar a imagem de Nossa Senhora à maldição. O padre Jaildo disse que o político tem que ser laico, durante o exercício do mandato.
“Você [vereador] foi infeliz e faltou um pouco de maturidade política quando tomou essa decisão. O político sabe que durante a campanha e o seu mandato não pode ser católico nem evangélico, porque o parlamentar não só teve voto apenas da comunidade evangélica ou vice-versa. Você teve votos de católicos como, por exemplo, de Acaú, que votaram e trabalharam para você”, disse o padre.
 Em outro trecho do áudio, o sacerdote afirma que o vereador precisa ter mais conhecimento da bíblia.  “Errado não é a igreja católica manter as imagens, não. Errados são aqueles que não entendem e não sabem interpretar a bíblia.  Nas bíblias católicas e evangélicas há passagens sobre cultuar as imagens sagradas.  É só questão de interpretação. Você [vereador] precisa ler mais a bíblia”, explicou.
Vereador pediu desculpas
A declaração causou revolta na comunidade católica do município que repudiou a atitude e a fala do vereador. Preocupado com a repercussão negativa, Zico afirmou que usou um termo inadequado ao não se expressar corretamente ao afirmar que estava expressando uma fala de terceiros, e pediu desculpas pela comunidade que se sentiu atingida pela fala. “Não foram palavras minhas, eu me reportei a uma fala de terceiros no grupo da Câmara e distorceram tudo”, disse o vereador.
Ele alegou a repercussão a perseguição política.
     Portal do Litoral