segunda-feira, 30 de outubro de 2017

RN; Após santificação dos mártires brasileiros, município do RN se prepara para o turismo religioso.

Por G1 RN
RN-Eventos.
São Gonçalo do Amarante realiza parcerias para divulgar destino e atrair fiéis e peregrinos. 
A
quarta maior cidade do Rio Grande do Norte, São Gonçalo do Amarante se prepara para se tornar um dos destinos turísticos e religiosos mais procurados do Brasil.
Após os santificação dos mártires de Cunhaú e Uruaçu, pelo Papa Francisco, no Vaticano, o Município trabalha um plano de mídia para atrair católicos de todo o Brasil e do mundo.
Monumento em memória aos mártires atrai milhares de fiéis todos os anos a São Gonçalo do Amarante (Foto: Isaías Santana/ Prefeitura de São Gonçalo do Amarante)
Monumento em memória aos mártires atrai milhares de fiéis todos os anos a São Gonçalo do Amarante
(Foto: Isaías Santana/ Prefeitura de São Gonçalo do Amarante)
Segundo a prefeitura do município, que fica na região metropolitana de Natal, o trabalho de divulgação será realizado inicialmente nos polos emissores diretos: dioceses de todo o país. Para tanto, a cidade fez uma parceria com a Arquidiocese de Natal, que está articulando uma ação nacional.
Outra frente de divulgação será com o consórcio Inframérica, que administra o Aeroporto Internacional localizado no município. A empresa, que administra 54 terminais na América Latina e Europa, vai divulgar o destino nesses aeroportos.
Para conseguir atender à demanda turística, o prefeito Paulo Emídio diz que a população será qualificada. De acordo com ele, os comerciantes do pólo gastronômico, que tem como carro-chefe pratos à base de camarão, passarão por cursos e treinamentos. O poder executivo municipal também vem fazendo cursos de guia turístico dirigidos principalmente a jovens para trabalhar no santuário já existente, o Monumento dos Mártires, que poderá ser ampliado em breve para receber público maior, informou o poder o Executivo municipal.
"A prefeitura vem buscando parcerias junto aos governos estadual e federal para viabilizar um projeto arquitetônico estimado em mais de R$ 50 milhões, para a construção de um complexo religioso, com basílica, centro comercial de artesanatos (a cidade é conhecida como Berço da Cultura Popular potiguar) e alimentos, além de pousadas, o que permitiria a recepção de grandes grupos de romeiros, nos mesmos moldes dos maiores santuários brasileiros, que recebem milhares de fiéis anualmente", informou em nota.
O equipamento deve ser instalado numa área de mais de 7 hectares, vizinha ao monumento que existe atualmente na comunidade de Uruaçú, projetado pelo arquiteto Francisco Soares Junior e inaugurado em dezembro de 2000. O santuário já chegou a receber público próximo aos 100 mil fiéis em dias festivos, como é o caso do dia 3 de outubro, quando os potiguares celebram os Mártires de Uruaçu e Cunhaú.
Monumento aos Mártires, em São Gonçalo do Amarante (Foto: Isaías Santana/ Prefeitura de São Gonçalo do Amarante)
Monumento aos Mártires, em São Gonçalo do Amarante
(Foto: Isaías Santana/ Prefeitura de São Gonçalo do Amarante)
Pós-canonização
Começou nesta sexta-feira (27) a “Cantata dos Santos Mártires Potiguares”, com participação de 42 artistas. O Auto será apresentado primeiramente no Monumento em Uruaçu. Neste sábado (28), data com maior expectativa de público, a programação começará às 17h. Além do espetáculo, haverá apresentação dos "Cantores de Deus" e encerramento com missa presidida pelo Cardeal Cláudio Hummes, Arcebispo Emérito da Arquidiocese de São Paulo. Neste domingo (29), o espetáculo será apresentado às 19h no Patamar da Igreja Matriz, no Centro da cidade.
História
Os novos santos brasileiros foram cristãos que foram assassinados em 1645 em decorrência das invasões no nordeste do Brasil, quando fiéis da Igreja Católica foram mortos no Rio Grande do Norte, por holandeses e índios aliados a eles.
O primeiro massacre aconteceu no dia 16 de julho na Capela de Nossa Senhora das Candeias, no Engenho de Cunhaú, em Canguaretama, quando o Padre André de Soveral e outros 70 fiéis foram cruelmente mortos por mais de 200 soldados holandeses e índios potiguares, quando participavam da missa dominical.
O segundo morticínio aconteceu em Uruaçu, comunidade de São Gonçalo do Amarante, no dia 3 de outubro, quando 80 pessoas foram massacradas com mais crueldade. As vítimas tiveram as línguas arrancadas para que não proferissem orações católicas, tiveram braços e pernas decepados, e crianças foram partidas ao meio e degoladas. O celebrante da missa, o padre Ambrósio Francisco Ferro, foi muito torturado. O camponês Mateus Moreira teve o coração arrancado. E, ainda vivo, exclamou: "Louvado seja o Santíssimo Sacramento".

Postar um comentário