sexta-feira, 1 de dezembro de 2017

NOVA CRUZ; Suspeito de engravidar a própria filha de 12 anos é preso no interior do RN

RN-Policia.
Resultado de imagem para fotos ambulância
Um homem de 48 anos foi preso nesta quinta-feira (30) sob suspeita de ter estuprado e engravidado a própria filha, quando a garota ainda tinha 12 anos de idade. O crime aconteceu na cidade de Nova Cruz, no Agreste potiguar.
D
e acordo com o delegado José Carlos, que comanda a Delegacia Regional de Nova Cruz e realizou a prisão, as investigações tiveram início em 2015.
A vítima, já casada e com 17 anos naquela época, contou ao marido o que havia lhe acontecido e ele procurou a polícia.
O delegado informou que o suspeito começou a abusar da filha quando ela tinha 10 anos. “Ele começou a contar histórias pra ela, de pais que se relacionavam com os filhos, colocando coisa na cabeça da menina”, afirma José Carlos.
O homem se aproveitava dos momentos em que estava sozinho com a menina em casa e a levava para uma área de mato no quintal da residência, na zona rural da cidade. “Ele a ameaçava de morte, para que não contasse nada a ninguém”, conta o delegado.
Aos 12 anos a garota engravidou do próprio pai. “Quando a barriga começou a crescer, ele inventou uma história que a menina arrumou um namorado na rua e que o filho era desse namorado”, revela José Carlos. Já no final da gravidez, a garota contou à mãe o que havia ocorrido, contudo nenhuma providência foi tomada.
Depois que o bebê nasceu, relata o delegado, o suspeito viajou até Natal e deu a criança para pessoas ainda não identificadas.
Outra vítima
Uma irmã mais velha da menina abusada contou à Polícia Civil em depoimento que, também quando tinha 10 anos, sofreu investidas do pai. “Ela disse que, aos 13, para se livrar do assédio, arrumou um marido e saiu de casa”, disse José Carlos.
Ao todo, a família é composta por seis irmãs. As demais negaram à polícia que tenham sofrido qualquer abuso do pai. Segundo o delegado José Carlos, a mãe das garotas também será ouvida, visto que tomou ciência da situação durante a gravidez e não denunciou o caso.
O suspeito foi detido sob mandado de prisão preventiva e encaminhado à Penitenciária Estadual de Alcaçuz, em Nísia Floresta, Grande Natal. Em depoimento, ele confessou o crime à polícia, contudo colocou sobre a criança a responsabilidade das relações que manteve com ela.
A menina que teve um filho do pai atualmente tem 19 anos e é casada. Entretanto sofre com transtornos psicológicos e toma remédios controlados em virtude do trauma. A polícia não tem informações a respeito do paradeiro da criança doada na capital potiguar.
Os nomes de todos os envolvidos no caso não foram expostos na reportagem pelo G1 para preservar as vítimas.
Postar um comentário