sexta-feira, 9 de fevereiro de 2018

LABORATÓRIO DA EMPARN FAZ NÚMERO RECORDE DE ANÁLISES DE SOLOS, EM 2017


RN-CIDADES.
             Assecom/Emparn
Durante todo o ano de 2017, o laboratório da Empresa de Pesquisa Agropecuária do Rio Grande do Norte (Emparn) realizou 2.685 análises de solos, número bem acima da média registrada nos últimos dez anos, que é de 1.679. Num comparativo com a quantidade de análises de água, que também é um serviço muito solicitado, a demanda por estudo do solo também foi muito superior, no ano passado foram realizadas 1.075 análises de água, contra 2.685 de solo.   Para o químico responsável pelo laboratório, Alfrêdo Osvaldo Dantas, a maior procura foi por parte dos agricultores visando financiamentos.

O laudo é um dos documentos exigidos pelos bancos, para que seja feita a avaliação do potencial produtivo do solo da propriedade, nele também tem a recomendação e orientação do agrônomo do laboratório sobre o melhor produto para plantar no solo analisado. A credibilidade do laboratório da Emparn, também é reconhecida fora do Rio Grande do Norte, já que é procurado por agricultores de outros estados, tais como: Alagoas, Ceará, Piauí, Paraíba, Pará e Pernambuco. 


Click aqui Mais informações »


O laboratório, funciona na sede da empresa, na Estação Experimental Rommel Mesquita de Farias, no Jiqui. Em 2017, além das análises de solo e de água, o laboratório realizou também 375 análises de plantas; 362 bacteriológicas e 18 amostras de calcário, dos diversos parâmetros físicos, químicos e biológicos. O centro de análises faz pesquisas para diversos órgãos ambientais como encaminhamentos do instituto de águas (IGARN) e para o programa Água Azul, do Idema. Além de atender demandas de produtores rurais interessados em garantir a qualidade da água e do solo para obter altas produtividades nos plantios.
Apesar da difícil situação enfrentada pelo setor agropecuário potiguar, o número total de análises realizadas no laboratório da Emparn, é sempre crescente, ao todo em 2017 foram 4.515, enquanto que no ano anterior (2016), o laboratório fez 3.895 análises.
Certificação de excelência e tecnologia
O serviço prestado pelo laboratório da Emparn, é anualmente avaliado pelo programas de controle de qualidade: PAQLF (Embrapa Solos), PIATV (ESALQ/USP- Planta) e o EPLNA (Embrapa Pecuária Sudeste- Forragem), avaliação que garante há vários anos o Certificado de Excelência ao laboratório. Esses órgãos certificam que os critérios estabelecidos nas análises realizadas pela Emparn, são atendidos e que as determinações descritas nos métodos de análises são eficientes e atendem as normas de avaliação.
O laboratório conta com diversos instrumentos modernos e de alta precisão, dentre eles absorção atômica, forno de grafite, espectrofotômetro, analisador de carbono, cromatógrafo de cátions e anions. São equipamentos essenciais para determinação de amostras de solo, planta, água, calcário, adubos orgânicos e rações para consumo animal. O recurso humano é composto de pesquisadores e auxiliares qualificados e experientes garantindo o alto padrão dos serviços laboratoriais, dentre os quais três doutores em agronomia, dois mestres em engenharia sanitária, cinco químicos, dois biólogos e quatro técnicos em laboratório.
 Importância das análises
A análise da água visa não só adequar-se à legislação, mas também prevenir danos à saúde humana e ao meio ambiente. As pessoas utilizam a água de diferentes fontes na natureza como rios, lagos, lagoas, reservatórios, subterrânea, chuva, para satisfazer diversas necessidades como portabilidade, higiene, limpeza, produção industrial (tanto inserindo a água no produto quanto a usando durante o processo produtivo), criação animal (aquicultura), irrigação, geração de energia elétrica, navegação, diluição de esgotos, entre outros. Estes diversos usos requerem padrões de qualidade da água adequados para cada tipo de atividade. Com isso, a qualidade da água deve ser entendida como um padrão relativo, ou seja, de acordo com cada uso da água as exigências físico-químicas e biológicas são diferentes.

Click no linck e leia mais


O objetivo da análise química do solo é determinar qual a quantidade de nutrientes que o solo será capaz de fornecer às plantas e qual a quantidade de adubo que deverá ser aplicado para se ter um bom rendimento da cultura. A análise do solo serve ainda para se verificar se há acidez superficial, que vem dificultar ou impedir o crescimento das raízes, fazendo com que a cultura aproveite mal o adubo aplicado ou os elementos do próprio solo. Uma boa análise de solo depende da correta amostragem na área a ser plantada, afirma Alfredo Dantas. Para tanto, recomenda-se seguir rigorosamente as instruções fornecidas para coleta de amostras.

Postar um comentário