sexta-feira, 2 de fevereiro de 2018

VÍDEO MOSTRA CHEFE DO IBAMA PRESO PELA PF RECEBENDO PROPINA EM MOSSORÓ


RN-POLICIA.

O
chefe do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) em Mossoró, no Oeste potiguar, preso nesta quinta-feira (1º), aparece em uma filmagem recebendo propina.

O vídeo foi autorizado judicialmente e divulgado pela Polícia Federal após a prisão do suspeito. Armênio Medeiros da Costa permanece detido na carceragem da PF.

Vídeo mostra chefe do Ibama Mossoró recebendo propina de pescador
Fonte, G1/RN
Em entrevista à Inter TV Costa Branca, o advogado Gilvan Lira, que representa Armênio Costa, afirmou que seu cliente é inocente. "Meu cliente é inocente e vamos provar que ele é inocente", reforçou. Questionado sobre o vídeo, o advogado respondeu que as imagens não provam que o chefe do Ibama estava recebendo propina. "Dar dinheiro não quer dizer que é propina", argumentou.
De acordo com a assessoria de comunicação da Polícia Federal, a filmagem foi feita na terça-feira (30) e juntada às demais provas que resultaram no pedido de prisão, cumprido nesta quinta (1º).
Ainda segundo a PF, o cumprimento do mandado faz parte de uma operação denominada ‘Corrupião’, que investiga atos de corrupção. Também foi cumprido um mandado de busca e apreensão na sede do Ibama na cidade.
A superintendência do Ibama no Rio Grande do Norte, que ainda não se pronunciou sobre o caso, disse apenas que Armênio Medeiros da Costa assumiu a chefia da unidade do órgão em Mossoró há dois anos. A PF acrescentou que a prisão foi preventiva – que é a sanção máxima que um suspeito de crime pode ter antes de ser julgado.
As imagens feitas pela Polícia Federal (veja no vídeo acima) mostram o instante em que o chefe do Ibama em Mossoró é visto recebendo dinheiro das mãos do homem que fez a denúncia, um pescador. Segundo a PF, no acerto em plena rua o suspeito recebe cerca de R$ 500 de um total de R$ 2.000 que seriam pagos em prestações mensais.
O delegado Samuel Elânio, que conduziu a operação, disse ao G1 que a cena foi gravada em uma ação controlada. Contudo afirma que nem Armênio Costa, nem o pescador sabiam que estavam sendo filmados. "O pescador denunciou a situação para a polícia, mas, depois disso, não soube mais de nada dos bastidores da investigação. A filmagem foi, inclusive, autorizada pela Justiça", acrescenta.
A denúncia contra Armênio Medeiros da Costa é exatamente sobre a cobrança de propina durante as fiscalizações do Instituto. Depois de detido, ele foi ouvido em uma audiência de custódia, em que foi mantida a prisão.
 

Postar um comentário