terça-feira, 27 de fevereiro de 2018

SEGOVIA é DEMITIDO DO COMANDO DA PF E ROGÉRIO GALLORO ASSUME POSTO


BR-POLITICA.

Diretor-geral foi demitido pelo ministro Segurança Pública Raul Jungmann. Declaração de Segóvia sobre Temer foi o motivo da demissão 


O delegado Fernando Segovia foi demitido do comando da Polícia Federal. A decisão é do ministro extraordinário da Segurança Pública Raul Jungmann. O novo diretor deve ser o delegado Rogério Augusto Viana Galloro, atualmente na Secretaria Nacional de Justiça.

Segovia ficou à frente da PF pouco menos de quatro meses e durante este período protagonizou episóidos polêmicos.

No auge da crise, teve que se explicar ao ministro Luís Roberto Barroso, do STF (Supremo Tribunal Federal) sobre uma entrevista à Reuters, em que afirmou não haver indícios de crime cometidos pelo presidente Michel Temer no inquérito do Decreto dos Portos. Ele ainda disse que a tendência era que o inquérito fosse arquivado.

Na segunda-feira (26) a procuradora-geral da República, Raquel Dodge, ameaçou pedir o afastamento de Fernando Segovia caso o delegado voltasse a se manifestar sobre inquéritos.

No entanto, a permanência do ex-diretor geral no cargo gerava desconfiança até mesmo na Associação de Delegados da Polícia Federal. Desde a posse de Segovia, em novembro do ano passado, os próprios delegados acreditavam que ele não ficaria no posto até fevereiro.

Quem é Galloro

Galloro ingressou na PF em agosto de 1995. Com mais de 22 anos de carreira, o delegado já ocupou postos estratégicos na instituição. Entre abril de 2011 e junho de 2013 foi adido da PF nos Estados Unidos. Ele também foi superintendente regional em Goiás (outubro 2007/janeiro 2009).

Posse de Jungmann

Esta foi a primeira decisão de Raul Jungmann após o ministro tomar posse do Ministério Extraordinário da Segurança Pública nesta terça-feira (27), no Palácio do Planalto, em Brasília.

O general Joaquim Silva e Luna assumiu a pasta deixada por Jungmann e é o ministro interino da Defesa.