quinta-feira, 8 de março de 2018

FACHIN MANDA DENÚNCIA CONTRA LULA E DILMA PARA JUSTIÇA FEDERAL DO DF

BR-POLITICA.
Ministro do STF, relator das ações da Operação Lava Jato, fatiou a denúncia de formação de quadrilha contra os petistas
 Fachin manda denúncia contra Lula e Dilma para Justiça
O ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Edson Fachin, relator das ações da Operação Lava Jato, enviou a denúncia da PGR (Procuradoria Geral da República) contra o ex-presidentes da República Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff, os ex-ministros Antonio Palocci e Guido Mantega, e o ex-tesoureiro do PT João Vaccari Neto, para a Justiça Federal do Distrito Federal.
De acordo com a assessoria de imprensa do STF, o ministro fatiou a denúncia e a enviou para a Justiça Federal. A decisão foi divulgada nesta quinta-feira (8) no DJ-e (Diário da Justiça eletrônico).
A denúncia da PGR, feita em setembro do ano passado por Rodrigo Janot, aponta para uma organização criminosa formada por integrantes do PT em um esquema de corrupção.
Ao enviar a denúncia para a Justiça Federal, a acusação contra os ex-presidentes petistas e os ministros da Fazenda Antônio Palocci Filho e Guido Mantega, além do ex-tesoureiro do PT João Vaccari Neto, vai para a primeira instância.
Além deles, também foram denunciados a senadora Gleisi Hoffmann e os ex-ministros Paulo Bernardo e Edinho Silva. No entanto, as denúncias contra eles permanecem no STF, pois a presidente do PT tem foro privilegiado.
De acordo com a denúncia, o esquema de propinas foi no valor de R$ 1,45 bilhão por meio da Petrobras, do BNDES (Banco Nacional do Desenvolvimento) e do Ministério do Planejamento. O esquema teria sido usado no período em que Lula e Dilma estavam na presidência da República.
Ministro do STF, relator das ações da Operação Lava Jato, fatiou a denúncia de formação de quadrilha contra os petistas

O ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Edson Fachin, relator das ações da Operação Lava Jato, enviou a denúncia da PGR (Procuradoria Geral da República) contra o ex-presidentes da República Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff, os ex-ministros Antonio Palocci e Guido Mantega, e o ex-tesoureiro do PT João Vaccari Neto, para a Justiça Federal do Distrito Federal.
De acordo com a assessoria de imprensa do STF, o ministro fatiou a denúncia e a enviou para a Justiça Federal. A decisão foi divulgada nesta quinta-feira (8) no DJ-e (Diário da Justiça eletrônico).
A denúncia da PGR, feita em setembro do ano passado por Rodrigo Janot, aponta para uma organização criminosa formada por integrantes do PT em um esquema de corrupção.
Ao enviar a denúncia para a Justiça Federal, a acusação contra os ex-presidentes petistas e os ministros da Fazenda Antônio Palocci Filho e Guido Mantega, além do ex-tesoureiro do PT João Vaccari Neto, vai para a primeira instância.
Além deles, também foram denunciados a senadora Gleisi Hoffmann e os ex-ministros Paulo Bernardo e Edinho Silva. No entanto, as denúncias contra eles permanecem no STF, pois a presidente do PT tem foro privilegiado.
De acordo com a denúncia, o esquema de propinas foi no valor de R$ 1,45 bilhão por meio da Petrobras, do BNDES (Banco Nacional do Desenvolvimento) e do Ministério do Planejamento. O esquema teria sido usado no período em que Lula e Dilma estavam na presidência da República.

Ministro do STF, relator das ações da Operação Lava Jato, fatiou a denúncia de formação de quadrilha contra os petistas

O ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Edson Fachin, relator das ações da Operação Lava Jato, enviou a denúncia da PGR (Procuradoria Geral da República) contra o ex-presidentes da República Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff, os ex-ministros Antonio Palocci e Guido Mantega, e o ex-tesoureiro do PT João Vaccari Neto, para a Justiça Federal do Distrito Federal.
De acordo com a assessoria de imprensa do STF, o ministro fatiou a denúncia e a enviou para a Justiça Federal. A decisão foi divulgada nesta quinta-feira (8) no DJ-e (Diário da Justiça eletrônico).
A denúncia da PGR, feita em setembro do ano passado por Rodrigo Janot, aponta para uma organização criminosa formada por integrantes do PT em um esquema de corrupção.
Ao enviar a denúncia para a Justiça Federal, a acusação contra os ex-presidentes petistas e os ministros da Fazenda Antônio Palocci Filho e Guido Mantega, além do ex-tesoureiro do PT João Vaccari Neto, vai para a primeira instância.
Além deles, também foram denunciados a senadora Gleisi Hoffmann e os ex-ministros Paulo Bernardo e Edinho Silva. No entanto, as denúncias contra eles permanecem no STF, pois a presidente do PT tem foro privilegiado.
De acordo com a denúncia, o esquema de propinas foi no valor de R$ 1,45 bilhão por meio da Petrobras, do BNDES (Banco Nacional do Desenvolvimento) e do Ministério do Planejamento. O esquema teria sido usado no período em que Lula e Dilma estavam na presidência da República.