terça-feira, 13 de março de 2018

MATÉRIA DO FANTÁSTICO TRAZ


Fonte; Blog do Robson Pires

RN-politica


O repórter do Fantástico Eduardo Faustini, do quadro “Cadê o dinheiro que estava aqui? ”, esteve no Rio Grande do Norte esta semana, mergulhado no esquema de desvio de dinheiro público no IDEMA e investigando também o esquema de desvio de recursos na Assembleia Legislativa do Estado, que culminou na deflagração da operação DAMA de ESPADAS. A ideia é saber por quê a verba destinada à população desapareceu nas mãos de políticos, empresas fantasmas e laranjas. A reportagem vai ao ar neste domingo (11), no programa Fantástico, da Rede Globo de Televisão.
Operação Dama de Espadas
A operação Dama de Espadas foi deflagrada em agosto de 2015. De acordo com o Ministério Público, os desvios dos cofres da ALERN podem passar de R$ 5,5 milhões. Ainda segundo informações do Ministério Público, a associação criminosa era composta por servidores públicos do órgão com o auxílio de um gerente do banco Santander.
Eles utilizavam “cheques salários” como forma de desviar recursos em benefício próprio ou de terceiros. Os cheques eram sacados, em sua maioria, pelos investigados ou por terceiros não beneficiários, com irregularidade na cadeia de endossos ou com referência a procurações, muitas vezes inexistentes.
Operação Candeeiro
Um relatório elaborado pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE), aponta que foram desviados R$ 34.943.970,95 do Instituto de Desenvolvimento Sustentável e Meio Ambiente- Idema/RN, entre os anos de 2011 e 2015. Um levantamento feito pelo Ministério Público chegou a R$ 19 milhões desviados, isso no período de 2013 a 2014. Essa apuração do MP culminou na deflagração da Operação Candeeiro, em 2 de setembro de 2015.
OBS.
Infelizmente o Nosso RN só aparece nas telas da Globo com notícias ruins, assassinatos, rebeliões, roubalheiras e desvios de recursos público, que lastima! Num passado recente eu costumava dizer, “Sou Brasileiro com orgulho” atualmente digo, “Sou Nordestino com orgulho, mas tenho vergonha de ser Brasileiro”
Comentario;  Chagas Silva