sábado, 5 de maio de 2018

PM CONFIRMOU IDENTIDADE DO MILITAR, MAS NÃO COMENTOU MOTIVAÇÃO DO CASO. MULHER MORREU NO LOCAL; OUTRA VÍTIMA FOI HOSPITALIZADA

Ceilândia-DF-policial.

Um policial militar do Distrito Federal é o principal suspeito de matar a ex-namorada, de 25 anos, a tiros na tarde desta sexta-feira (4), em Ceilândia. Segundo a Polícia Militar, um homem também foi baleado, e levado ao hospital em estado grave.

A mulher foi identificada por familiares como Jessyka Lainara. De acordo com a PM, ela foi atingida em casa por cinco disparos, e morreu no local. O óbito foi declarado por uma equipe do Samu.

Ao G1, a PM afirmou que o autor do crime foi o soldado Ronan Menezes Rego. O sargento responsável pela apuração no local não quis comentar a relação entre o militar e a vítima. O caso será investigado pela 24ª DP (Ceilândia).

Segundo a família, Jessyka tinha sido aprovada recentemente em um concurso do Corpo de Bombeiros. O primo, Leonardo Silva, afirmou ao G1 que o crime foi motivado por ciúmes. "Ele não aceitava o término do relacionamento", diz.

"Vivia ameaçando ela, falava que ia matar e que não ia ficar muito tempo preso porque era PM. Ele falava que ia matar a nossa avó se ela denunciasse as ameaças.”

Até as 16h10, a PM não tinha informações sobre a localização do militar apontado como suspeito. Nesse horário, a mobilização em frente à casa de Jessyka era grande – incluindo equipes do Batalhão de Operações Especiais (Bope) da PM e da Polícia Civil.

De acordo com vizinhos, o militar tinha "comportamento agressivo", e não costumava conversar com as pessoas da região. O relacionamento teria começado antes de ele entrar para a polícia e, desde então, havia boatos de que ele "perseguia" a namorada.

Marcelo Cardoso e Mateus Rodrigues, G1 DF
Rede Unilar




Postar um comentário