quinta-feira, 30 de agosto de 2018

NOVO VIRAL, 'MOMO' SERIA AMEAÇA A CRIANÇAS E ADOLESCENTES; PC INVESTIGA.


PB-POLICIAL.

Aionà Geminiano - Correio da Paraíba

Pouco mais de um ano após a onda do desafio da ‘Baleia Azul’, que ameaçou e tirou vidas de crianças e adolescentes brasileiros, uma nova ameaça está chegando ao público infantil, desta vez pelo aplicativo de mensagem WhatsApp. A boneca ‘Momo’ já teria feito duas vítimas no vizinho estado de Pernambuco e já chegou ao conhecimento da polícia paraibana. O crime segue os mesmos padrões da ‘Baleia Azul’, propondo desafios às crianças, que incluem práticas suicidas.

O coronel PM, Arnaldo Sobrinho, especialista em crimes cibernéticos, explicou que os responsáveis pelo suposto jogo conseguem números telefônicos de crianças em grupos do aplicativo de mensagens e passam a conversar de forma privada com as vítimas.

Para diferenciar do jogo da ‘Baleia Azul’, a boneca ‘Momo’ modificou os desafios e as formas de levar as crianças atentarem contra a própria vida, com estratégias como prender a respiração e, assim, provocar asfixia. “Há relatos de crianças que teriam sido vítimas no interior de Pernambuco, inclusive com morte de um jovem. Chegou até nós o número do telefone de um suspeito que estaria comandando esse jogo aqui na Paraíba. Acionamos a Inteligência para tentar localizá-lo, não conseguimos, mas os contatos que fizemos o afugentou e ele apagou o grupo que usava para coptar as vítimas”, acrescentou Sobrinho.

Na Paraíba, a Polícia Civil recebeu uma queixa na noite da última terça-feira (28), feita por membros de uma família, cujas identidades estão sob sigilo. As vítimas relataram que todos os membros da família estavam sendo ameaçados pela boneca ‘Momo’. Eles levaram prints das conversas, que foram anexados à investigação.

Apesar de acreditar que a ‘Momo’ não terá a mesma repercussão da ‘Baleia Azul’, o oficial alerta os pais para que fiquem atentos às conversas que os filhos tenham no aplicativo ou a qualquer mudança de comportamento, sem motivos aparentes. “Qualquer informação sobre esse jogo deve ser repassada para a polícia, através do 190, da Polícia Militar ou do 197, da Polícia Civil”, finalizou o coronel.

Em Pernambuco, dois casos são investigados

Dois casos estão sendo investigados pela polícia de Pernambuco, como suspeitos de terem ligação com a boneca ‘Momo’. Um deles aconteceu no último dia 16, no bairro do Cordeiro, zona Oeste de Recife, vitimando um garoto de 9 anos. A mãe do garoto, a professora Jany Nascimento, disse à polícia que o filho chegou a mostrar a boneca e dito que ela fazia um desafio para ver quanto tempo ele suportava ficar sem respirar. “Eu só percebi o perigo depois que ele morreu e vi os desafios no celular dele”, disse a professora à imprensa pernambucana.

No dia da morte, a família jantava reunida quando os pais e a irmã do garoto saíram da cozinha, por cerca de 10 minutos.  Ao retornar, a professora encontrou o filho pendurado em uma árvore, com um fio de energia elétrica amarrado ao pescoço.

Apesar dos relatos dos familiares, a delegada Thaís Galba, do Departamento de Polícia da Criança e do Adolescente (DPCA) de PE, responsável pela investigação, disse que ainda é cedo para afirmar que a morte do menino foi em consequência do jogo.