quarta-feira, 26 de setembro de 2018

BOLSONARO DIZ QUE POVO QUER SABER DE EMPREGO E SEGURANÇA, E NÃO DE 'FALÁCIAS' SOBRE A DITADURA

Por G1 SP
BR-POLITICA.
Bolsonaro em entrevista no quarto do hospital — Foto: Reprodução/Jovem Pan
Candidato à Presidência pelo PSL segue internado no Hospital Albert Einstein se recuperando de facada recebida no começo do mês
O candidato do PSL à Presidência da República, Jair Bolsonaro, disse nas redes sociais, na manhã desta quarta-feira (26), que o povo quer saber de emprego e segurança, e não de "falácias" sobre a ditadura.
Enquanto insistem em falácias, rótulos e na fixação pela palavra “ditadura”, são mais de 14 milhões de desempregados, cidadãos reféns em suas próprias casas, 60 mil homicídios e 50 mil mulheres estupradas por ano. É disso que o povo quer saber! É urgente! É daqui pra frente!
O candidato se recupera desde 7 de setembro no Hospital Israelita Albert Einstein, na Zona Sul de São Paulo, após sofrer uma facada no abdômem durante ato de campanha em Juiz de Fora (MG), um dia antes.
Ele precisou passar por duas cirurgias desde então. O último boletim médico divulgado pelo hospital, na tarde desta terça (25), afirma que Bolsonaro iniciou "dieta branda", com boa aceitação.
 Na segunda (24), o candidato deu entrevista à rádio Jovem Pan. Na conversa, gravada no quarto onde está internado, disse que, se eleito, "não haverá espaço" para indicações políticas em ministérios
Questionado sobre críticas que o classificam como um "risco" à democracia, o presidenciável afirmou que é um "risco aos esquemas deles", citando indicações políticas.
"Essa maneira, de não aceitar indicação política, como eu tenho conversado com parlamentares, é uma maneira de resgatar, buscar o resgate da credibilidade do deputado. Não tem como aceitar", declarou.