quarta-feira, 5 de setembro de 2018

SEGUNDA TURMA DO STF DEVE DECIDIR NA PRÓXIMA SEMANA SE ARQUIVA INQUÉRITO SOBRE KÁTIA ABREU


DF-POLITICA.
A senadora Kátia Abreu (PDT-TO), candidaa a vice-presidente da República na chapa de Ciro Gomes (PDT) (Foto: Reprodução/GloboNews)
A Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) deve decidir na próxima terça-feira (11) se arquiva o inquérito em que a senadora Kátia Abreu (PDT-TO) é investigada. Kátia Abreu é candidata a vice-presidente da República na chapa de Ciro Gomes (PDT)
Deverão decidir sobre o caso os ministros Gilmar Mendes (relator), Ricardo Lewandowski, Celso de Mello, Dias Toffoli e Edson Fachin. A defesa de Kátia Abreu alega sucessivas prorrogações de prazo e falta de provas no processo
Segunda Turma do STF deve decidir na próxima semana se arquiva inquérito sobre Kátia Abreu
A senadora Kátia Abreu (PDT-TO), candidaa a vice-presidente da República na chapa de Ciro Gomes (PDT) (Foto: Reprodução/GloboNews) A senadora Kátia Abreu (PDT-TO), candidaa a vice-presidente da República na chapa de Ciro Gomes (PDT) (Foto: Reprodução/GloboNews)
A senadora Kátia Abreu (PDT-TO), candidaa a vice-presidente da República na chapa de Ciro Gomes (PDT) (Foto: Reprodução/GloboNews)
A Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) deve decidir na próxima terça-feira (11) se arquiva o inquérito em que a senadora Kátia Abreu (PDT-TO) é investigada.
Kátia Abreu é candidata a vice-presidente da República na chapa de Ciro Gomes (PDT).
Deverão decidir sobre o caso os ministros Gilmar Mendes (relator), Ricardo Lewandowski, Celso de Mello, Dias Toffoli e Edson Fachin.
A defesa de Kátia Abreu alega sucessivas prorrogações de prazo e falta de provas no processo.
"Finalizadas as exaustivas diligências já realizadas, inexistente qualquer fagulha de prova bastante para justificar nova procrastinação destes autos, o caso concreto recomenda o arquivamento definitivo destes autos", argumentam os advogados.
Nesta semana, o ministro Gilmar Mendes afirmou que há "excesso de prazo" na tramitação do inquérito e pediu à Procuradoria-Geral da República para se manifestar.
Entenda o caso
Kátia Abreu e o marido, Moisés Pinto Gomes, são investigados pelo suposto recebimento de R$ 500 mil para pagamento da campanha eleitoral da senadora em 2014 por meio do Setor de Operações Estruturadas da Odebrecht. Eles negam a acusação.