sexta-feira, 5 de outubro de 2018

ELEIÇÕES 2018: HADDAD É PETISTA COM MENOR APOIO NO NORDESTE DESDE 2002, MOSTRAM PESQUISAS.

BR-POLITICA.
O candidato petista tem 43% de intenção de voto no Nordeste, em votos válidos. É o menor apoio a um candidato do PT na região no primeiro turno desde a primeira eleição de Lula, segundo levantamento da BBC News Brasil
Imagem relacionada
Após ser confirmado como candidato do PT nas eleições de 2018, Fernando Haddad teve um crescimento meteórico no Nordeste, importante base eleitoral de Luiz Inácio Lula da Silva. Em pouco mais de um mês, o ex-prefeito de São Paulo passou de 5% para 38% da intenção de voto na região, segundo o Datafolha.
Mas as pesquisas dessa semana apontam que o crescimento de Haddad no Nordeste arrefeceu. Em vez de continuar subindo, o candidato oscilou negativamente para 36%, mostra o Datafolha divulgado nesta quarta-feira.
Em votos válidos (que são os considerados no resultado do pleito, excluindo-se brancos e nulos), são 43%. É o menor apoio a um candidato do PT no Nordeste no primeiro turno, desde 2002, segundo levantamento da BBC News Brasil.
Em 2014, na reeleição de Dilma Rousseff, a petista teve 60% dos votos válidos na região. Em 2010, 62%. Na reeleição de Lula, em 2006, foram 67%.
A intenção de voto em Haddad no Nordeste é menor até que a registrada por Lula em sua primeira eleição, em 2002: 46%. Naquele ano, o mapa eleitoral do Brasil ainda não estava tão dividido, com a votação de Lula ficando na casa dos 40% em todas as regiões do país.

Só em 1998 o apoio a um presidenciável do PT no Nordeste em primeiro turno foi mais baixo. Na disputa contra Fernando Henrique Cardoso, Lula teve 32% dos votos válidos na região. O opositor se reelegeu em primeiro turno.
Assim, se os números das pesquisas do começo dessa semana se confirmarem nas urnas, a taxa de apoio ao PT no Nordeste pode retornar para os patamares anteriores aos governos petistas. Para reverter esse quadro, Haddad teria de subir mais de 15 pontos na região em apenas três dias.
"O aumento das dificuldades do PT, inclusive no Nordeste, onde historicamente os candidatos lulistas têm maior apoio, tem a ver com rejeição elevada ao governo Dilma Rousseff e ao próprio PT. Seja na questão econômica, seja com relação à corrupção", afirma o cientista político Rafael Cortez, da Tendências Consultoria.
Ainda assim, os 36% de intenção de voto no Nordeste fazem Haddad liderar com folga na região. Enquanto o petista oscilou dois pontos para baixo no Nordeste, seu adversário mais próximo, Jair Bolsonaro (PSL) subiu quatro pontos e chegou a 20%. Ciro Gomes (PDT), em terceiro lugar na região, caiu três e tem 14%.
Dessa forma, mesmo com uma possível redução de votos, o candidato do PT ainda deve ser o mais votado no primeiro turno na região.
A BBC News Brasil analisou os dados das pesquisas divulgadas esta semana e mostra abaixo esse e outros destaques: