segunda-feira, 15 de outubro de 2018

JUIZ SÉRGIO MORO HOMOLOGA A DELAÇÃO DE EXECUTIVO DA MENDES JÚNIOR


BR-POLICIAL.
O juiz federal Sérgio Moro homologou a delação premiada de Rogério Cunha de Oliveira, ex-executivo da Mendes Júnior condenado a 25 anos, 8 meses e 20 dias na Operação Lava Jato. Segundo os termos do acordo, ele ficará um ano seis meses em regime fechado. Cunha iniciou em agosto o cumprimento de sua pena em regime fechado, que chegou a ser reduzida pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região, que reconheceu a atenuante pelo fato de ter confessado crimes.
A multa do acordo foi inicialmente prevista em R$ 3,2 milhões, mas foi aumentada para R$ 4,3 milhões em meio às negociações após o ex-executivo reconhecer voluntariamente que havia omitido pagamento de R$ 700 mil a um ‘conhecido operador financeiro’.
 O juiz federal Sérgio Moro, que conduz as ações da Operação Lava Jato, condenou a 19 anos e 4 meses de prisão o executivo Sérgio Cunha Mendes, ex-vice-presidente da empreiteira Mendes Junior, por corrupção, lavagem de dinheiro e associação criminosa. Outros dois dirigentes da cúpula da empreiteira também foram condenados.
O acordo prevê que, após um ano e seis meses em regime fechado, Cunha fique dois anos e meio em domiciliar, com tornozeleira, passe quatro anos em semi aberto e cinco anos em aberto.
 No dia 3 de novembro de 2015, o juiz federal Sérgio Moro condenou o ex-executivo a 17 anos e quatro meses de prisão. o processo envolvia o pagamento de R$ 31,4 milhões à diretoria de Abastecimento da Petrobras. De acordo com a sentença, apenas um dos crimes de corrupção envolveu pagamento de R$ 9 milhões.
Em agosto de 2017, a pena de Cunha passou para para 26 anos, 6 meses e 20 dias de reclusão, em julgamento do Tribunal Regional Federal da 4ª Região. A Corte, em outubro, acabou diminuindo para 25 anos e 8 meses por reconhecer que ele confessou crimes.
Sem sucesso, executivos da Mendes Júnior têm negociado delação premiada. A defesa da empreiteira têm afirmado que está disponível para colaborar com as autoridades e aguarda ser chamada pela Justiça.