quarta-feira, 17 de outubro de 2018

MÃE CONTA EM DETALHES COMO NAMORADO MATOU OS FILHOS

Pi-policial

Joelma Costa era namorada de Danilo Santos, que matou as duas crianças
Danilo Veras dos Santos acusado de duplo homicídio

Joelma Pinto da Costa, perdeu os dois filhos, Kaio de Sousa Santos, 11 anos, e Maria Vitória Veras dos Santos, 5 meses, no último sábado (13), em Brejo do Piauí. As duas crianças foram assassinados de maneira brutal e covarde pelo namorado, Danilo Veras dos Santos, 29 anos, que está preso em São Raimundo Nonato.

Kaio foi espancado e estrangulado e Maria Vitória Veras dos Santos morreu por volta de meio-dia de segunda-feira (15), na UTI do Hospital Regional Tibério Nunes, em Floriano, em decorrência de múltiplos traumas. O corpo da menina também apresentava sinais de violência sexual.

Em um vídeo chocante, divulgado pelo portal JC24h.com, a mãe conta com riqueza de detalhes como os filhos foram mortos. "Foi uma tragédia muito grande. Nunca pensei em passar por isso. Aconteceu tudo isso. Ele tirou a vida do meu filho de 11 anos e da minha filha de cinco meses. O de 11 anos matou enforcado, torturado. Ele matou torturado e depois pegou o cano e ficou batendo no pulmão dele. A de cinco meses, ele

 publicidade.
Rede Unilarjogou no chão de cima da cama", que se relacionava com Danilo há dois anos. Os dois não moravam juntos, apenas tinham um relacionamento.

"Quando eu cheguei lá, o rapaz mais velho tava morto no chão, amarrado as mãos e os pés e a criança estava jogada no chão. Eu peguei a criança e segurei. Já estava saindo sangue da boca e nariz. Ele ainda foi em cima e imprensou a criança", contou a avó das crianças, que não foi identificada.

Joelma Pinto da Costa, a mãe das crianças assassinadas
Joelma Pinto da Costa, era mãe de Kaio e Maria Vitória, mortos pelo amante e pai da menina .

Joelma Pinto da Costa, a mãe das crianças assassinadas
Joelma Pinto da Costa, era mãe de Kaio e Maria Vitória, 

mortos pelo amante e pai da menina . [Foto: JC24horas.com]

Agravantes

O delegado Yan Brayner, encarregado da investigação do duplo homicídio qualificado e estupro de vulnerável, pretende concluir o inquérito em dez dias. "A pena do homicídio é de 30 anos, mas o caso envolve duas qualificadoras. Uma dela é a tortura. A outra é a morte da bebê que teria sido praticada para encobrir o estupro, ou seja, cometeu um crime para ocultar o outro. Com isso, a pena que seria de 6 a 20 anos, passa a ser de 12 a 30 anos".

Já o suspeito das mortes, Danilo Veras dos Santos, negou as acusações em depoimento na delegacia de Canto do Buriti.

Fonte: JC24horas/Redação | Editor: Paulo Pincel