terça-feira, 13 de novembro de 2018

FUTURO MINISTRO DA DEFESA AUTUOU NA MISSÃO DO HAITI E TRABALHA COM TOFFOLI NO STF


BR-POLITICA.

O presidente eleito Jair Bolsonaro(PSL) anunciou nesta terça-feira (13) que indicou para o cargo de ministro da Defesa o general da reserva Fernando Azevedo e Silva.
Bolsonaro confirmou a indicação por meio do Twitter logo após chegar a Brasília. O presidente eleito pousou na manhã desta terça na base área para uma nova rodada de conversas com autoridades.
Azevedo e Silva foi chefe do Estado-Maior do Exército e passou para a reserva neste ano. Atualmente, o general assessora o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli.
Em nota divulgada no fim da manhã, Toffoli disse que foi consultado por Bolsonaro sobre Azevedo e Silva.
"Hoje pela manhã, fui consultado pelo Presidente eleito Jair Bolsonaro sobre a indicação de Fernando Azevedo e Silva e prontamente disse que seria uma excelente escolha", afirmou o ministro.
Toffoli disse ainda que viu o anúncio com "muita alegria" e que a "larga experiência" de Azevedo e Silva "contribuirá para o fortalecimento da atuação das Forças Armadas, da segurança e da defesa no Brasil" (veja a íntegra da nota de Toffoli no final desta reportagem).
Com a escolha de um general, Bolsonaro mantém um oficial-general de quatro estrelas (topo da carreira) à frente do Ministério da Defesa. O atual ministro é o também general Joaquim Silva e Luna.
O presidente eleito chegou a anunciar o general Augusto Heleno para a Defesa, porém optou por colocar o militar no Gabinete de Segurança Institucional.