sexta-feira, 28 de dezembro de 2018

DELEGADOS DA POLÍCIA CIVIL SE UNEM A PARALISAÇÃO DE AGENTES E ESCRIVÃES; CATEGORIAS COBRAM SALÁRIOS ATRASADOS.


RN-POLICIAL.
Delegados da Polícia Civil do RN decidiram iniciar paralisação durante assembleia da Adepol — Foto: Pedro Vitorino 
Delegados da Polícia Civil do Rio Grande Norte se uniram a agentes e escrivães e anunciaram que também estão paralisando as atividades. A decisão foi tomada em assembleia na Associação dos Delegados da Polícia Civil do RN (Adepol-RN) na tarde desta quinta-feira (27). As categorias cobram o pagamento do 13º salário de 2017 (atrasado para quem recebe mais de R$ 5 mil) e uma definição sobre o salário de dezembro e o 13º deste ano.
Os delegados decidiram que somente atenderão a flagrantes, e em três pontos no estado. "Vamos manifestar apoio à paralisação, até porque é justa. Porém nós vamos atender também o pleito da sociedade, que é abrir três pontos de flagrantes: Caicó, Mossoró e Natal. Mas registros de boletim de ocorrência, atendimento na delegacia e investigação, não", afirma a delegada Paoulla Maués, presidente da Adepol.
Agentes e escrivães cruzaram os braços na manhã da quarta (26), quando deram início ao movimento denominado ‘Operação Zero’. À noite, fizeram uma reunião com o governo, mas não houve acordo. Já na manhã desta quinta (27), em nova reunião, coube à secretária de Segurança Pública, Sheila Freitas, dizer que o Executivo pretende pagar, nesta sexta (28), o 13º de 2017 para os policiais da ativa. Contudo, os policiais rejeitaram a proposta e decidiram continuar a paralisação.
G1/RN

Nenhum comentário:

Postar um comentário

É livre o direito de pensamentos, todos nós temos o direito de expressar nossas ideias e pensamentos deste que respeitando o direito e a moral dos demais.

Lembrando que a responsabilidade dos Comentários e de quem posta.

Chagas Silva