terça-feira, 22 de janeiro de 2019

OPERAÇÃO DESATIVA 30 'GATOS' DE ENERGIA E RETIRA 4 MIL METROS DE FIOS IRREGULARES EM CIDADE POTIGUAR

 Rn-policial.
Ligações clandestinas abasteciam 150 casas de forma irregular em Areia Branca, na região Oeste.
Gatos de energia foram desativados pela Cosern em Areia Branca — Foto: Cosern/Divulgação
Por G1 RN
Mais de 30 gatos de energia elétrica foram desativados em uma operação realizada pela Companhia de Energia do Rio Grande do Norte (Cosern) para combater desvios no estado. A ação aconteceu na última sexta-feira (18) em Areia Branca, na região Oeste, e contou com apoio da Polícia Militar. As ligações clandestinas alimentavam 150 casas na cidade.
De acordo com a Cosern, a operação Varredura, começou em janeiro de 2018 com foco na identificação e desativação de ligações clandestinas em estabelecimentos comerciais e residências em todo estado.
Na última ação, as equipes técnicas da Cosern retiraram aproximadamente 4 mil metros de fios irregulares utilizados pelos eletrotraficantes.
Segundo a Cosern, gato de energia é crime previsto no artigo 155 do Código Penal e a pena pode chegar a quatro anos de reclusão. Além de crime, a fraude representa risco de morte a quem faz e a quem está próximo. A infração também provoca perturbações no fornecimento de energia e parte do prejuízo é dividida por todos os consumidores na hora do reajuste tarifário homologado pela Aneel anualmente.
O longo de todo o ano de 2018, a Cosern conseguiu recuperar, por meio da operação, quase 22 mil MWh de energia que estava sendo furtada por gatos – quantidade suficiente para abastecer os 17 municípios da região do Seridó durante 30 dias
A população pode denunciar irregularidades, de forma anônima e gratuita, pelo site da empresa ou pelo telefone 116.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

É livre o direito de pensamentos, todos nós temos o direito de expressar nossas ideias e pensamentos deste que respeitando o direito e a moral dos demais.

Lembrando que a responsabilidade dos Comentários e de quem posta.

Chagas Silva