terça-feira, 4 de dezembro de 2018

MÃE É CONDENADA POR FAZER FILHA DE 5 ANOS COMER AS PRÓPRIAS FEZES


 CUIABÁ – MT-POLICIAL.


O caso aconteceu no município de Juara, 709 km a médio-norte de Cuiabá, Mato Grosso

Os desembargadores da Primeira Câmara Criminal do Tribunal de Justiça de Mato Grosso mantiveram a condenação de uma mãe pelo crime de tortura-castigo ao fazer a filha comer as próprias fezes.

Clique AQUI e se atualize com as notícias em tempo real do Blog NP

O caso aconteceu no município de Juara, 709 km a médio-norte de Cuiabá, quando a criança tinha cinco anos de idade.

Segundo consta no recurso de Apelação nº 63906/2018, a criança possuía um problema em fazer suas necessidades fisiológicas na roupa e a mãe frequentemente batia nela e a punia esfregando o cocô no corpo da criança.

Após uma denúncia anônima, o Conselho Tutelar flagrou o crime na casa da família, encontrando a criança ‘com o rosto todo cheio de fezes humana com cheiro muito forte, com a roupa toda suja de fezes, e com marcas de agressão no braço direito e na mão esquerda e com várias marcas de agressão na perna direita e no bumbum’, conforme descreveu o relatório de visita das conselheiras.

Ao apelar da sentença, a mulher buscava a desclassificação do crime de tortura para maus-tratos e reconhecimento da atenuante da confissão espontânea, uma vez que ela assumiu os fatos.

Na análise do recurso, o desembargador Marcos Machado negou o pedido. Segundo a Coordenadoria de Comunicação do Tribunal de Justiça de Mato Grosso, Machado considerou presentes os elementos da tortura-castigo.

“Os atos de agredir, esfregar e submeter criança sob sua guarda a comer as próprias fezes não se apresentam compatíveis com caráter disciplinar, visto que ausente finalidade de educação, bem como desproporcional e desarrazoado a cunho corretivo”, ponderou o magistrado.

Em relação à atenuante da confissão espontânea, o desembargador destacou que foi reconhecida e aplicada pelo juiz da causa, ‘devidamente compensada com as agravantes de motivo fútil, crime cometido contra descendente e prevalecimento de relações domésticas’.

A pena foi readequada para privativa de liberdade a 3 anos, 1 mês e 10 dias de reclusão, em regime aberto.

Estadão

Nenhum comentário:

Postar um comentário

É livre o direito de pensamentos, todos nós temos o direito de expressar nossas ideias e pensamentos deste que respeitando o direito e a moral dos demais.

Lembrando que a responsabilidade dos Comentários e de quem posta.

Chagas Silva

Postagem em destaque

ALGUNS REGISTROS DE CHUVAS DESTE DOMINGO (23) PARA ESTA SEGUNDA (24) CAICO

RN CIDADES. Alguns Registros de Chuvas Deste Domingo (23) Para Esta Segunda (24) Bairro Paraíba – Caicó – 08 mm Bairro Castelo Branc...