domingo, 24 de março de 2019

APÓS 22 MESES DE INVESTIGAÇÃO, PROCURADOR LIVRA TRUMP DA ACUSAÇÃO DE CONLUIO COM A RÚSSIA


INTERNACIONAL.
Documento de Robert Mueller diz ainda que não há provas suficientes de que presidente americano cometeu obstrução de justiça, mas não afasta essa hipótese. Procurador-geral Robert Barr decidiu inocentá-lo também desse crime.
Por G1
O presidente dos EUA Donald Trump acena para jornalistas, em foto de 28 de fevereiro — Foto: Jorge Silva/Reuters
O presidente dos EUA Donald Trump acena para jornalistas, em foto de 28 de fevereiro
 Foto: Jorge Silva/Reuters
O relatório do procurador especial Robert Mueller sobre a possível interferência russa nas eleições dos EUA de 2016 concluiu que o presidente Donald Trump não cometeu o crime de conspiração (ou conluio), mas não o isenta da possibilidade de ter cometido outro crime, o de obstrução de justiça.
O procurador-geral, Robert Barr, recebeu o relatório na sexta-feira (22), e enviou um resumo ao Congresso neste domingo (24).
O relatório deixou a cargo de Barr e de outro procurador, Rod Rosenstein, a decisão de determinar se Trump pode ter cometido o crime de obstrução de justiça, e eles decidiram que o presidente é inocente também nessa questão.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

É livre o direito de pensamentos, todos nós temos o direito de expressar nossas ideias e pensamentos deste que respeitando o direito e a moral dos demais.

Lembrando que a responsabilidade dos Comentários e de quem posta.

Chagas Silva