99.5FM Currais Novos/RN

domingo, 26 de maio de 2019

BRUMADINHO: APÓS QUATRO MESES, INVESTIGADOS ESTÃO SOLTOS, MULTA DO IBAMA NÃO FOI PAGA E APURAÇÕES AINDA CONTINUAM


No dia 25 de janeiro, a Barragem do Córrego do Feijão, da Vale, se rompeu, matando centenas de pessoas e poluindo o Rio Paraopeba.
Por Thais Pimentel, G1 Minas — Belo Horizonte

MG-JUSTIÇA. - Após quatro meses do rompimento da Barragem de Córrego do Feijão, da Vale, em Brumadinho, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, os investigados estão soltos, a multa aplicada pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) não foi paga e as apurações continuam. Além disso, os inquéritos criminais ainda não foram concluídos e ainda não há réus nessas investigações.

O desastre aconteceu no dia 25 de janeiro. De acordo com último balanço da Defesa Civil, 242 mortes foram confirmadas. Outras 28 pessoas continuam desaparecidas.

Treze funcionários da mineradora e da empresa TÜV SÜD, que atestou a segurança da estrutura, estão sob investigação. Eles já estiveram presos duas vezes. Da última vez, foram liberados entre a noite do dia 15 de março e a madrugada do dia 16, após o Superior Tribunal de Justiça (STJ) conceder favoravelmente um habeas corpus que considerou as prisões desnecessárias.

Segundo a Polícia Civil, o inquérito criminal já permite apontar a hipótese de homicídio com dolo eventual – quando se assume o risco de cometer o crime. Agora, resta apurar a participação de cada um dos considerados envolvidos na tragédia.

O G1 pediu posicionamento à Vale sobre investigações, ações na Justiça, prisões, multas e acordos, mas a empresa disse que não iria comentar.
                           Click aqui para  Mais informações »
Ato em memória dos mortos em Brumadinho.  — Foto: Ramon Bitencourt/O Tempo/Estadão Conteúdo  

Os investigados:

1.Alexandre de Paula Campanha - Gerente-executivo da geotecnia corporativa da Vale

2. André Jum Yassuda - engenheiro da TÜV SÜD

3. Artur Bastos Ribeiro - Gerência de geotecnia

4.Cristina Heloiza da Silva Malheiros - Gerência de geotecnia

5.Felipe Figueiredo Rocha - Setor de gestão de riscos geotécnicos

6.Cesar Augusto Paulino Grandchamp - geólogo da Vale

7.Makoto Namba - engenheiro da TÜV SÜD

8.Hélio Márcio Lopes de Cerqueira - Setor de gestão de riscos geotécnicos

9.Joaquim Pedro de Toledo - Gerente-executivo da geotecnia operacional da Vale

10.Marilene Christina Oliveira Lopes de Assis Araújo - Setor de gestão de riscos geométricos

11.Renzo Albieri Guimarães Carvalho - Gerência de geotecnia

12.Ricardo de Oliveira - gerente de Meio Ambiente Corredor Sudeste da Vale

13.Rodrigo Artur Gomes Melo - gerente executivo do Complexo Paraopeba da Vale


Nenhum comentário:

Postar um comentário

É livre o direito de pensamentos, todos nós temos o direito de expressar nossas ideias e pensamentos deste que respeitando o direito e a moral dos demais.

Lembrando que a responsabilidade dos Comentários e de quem posta.

Chagas Silva