99.5FM Currais Novos - RN

sexta-feira, 16 de agosto de 2019

AUDIÊNCIA NO SENADO BUSCA SOLUÇÃO PARA FAMÍLIAS DA TRAGÉDIA DA CHAPE.


B
R-POLITICA. - Uma audiência no Senado nesta quinta-feira debateu, mais uma vez, a falta de pagamento do seguro aos familiares das vítimas da tragédia aérea da Chapecoense, que vai completar três anos em novembro. Foi o segundo encontro para buscar uma solução. No primeiro, um dossiê do caso foi apresentado com a presença de familiares das vítimas.
48544648277_457a55253f_o_kfDFJxQ
Nesta quinta, o jogador Neto, um dos seis sobreviventes, falou emocionado sobre a falta de respeito com as famílias. O debate acabou sem acordo. A novidade é um encontro marcado para a próxima terça-feira, com o presidente da República Jair Bolsonaro, para tentar avançar no pagamento. Foram 71 mortos, entre jogadores, comissão técnica, dirigentes, jornalistas e tripulação.
O impasse entre as vítimas, a Lâmia e a seguradora é pelo pagamento do apólice dos US$ 300 milhões que estariam no contrato. A empresa de advocacia Clyde e Co, contratada pela seguradora, alega que o local da queda do avião, na Colômbia, não fazia parte da área de cobertura.
Uma audiência no Senado nesta quinta-feira debateu, mais uma vez, a falta de pagamento do seguro aos familiares das vítimas da tragédia aérea da Chapecoense, que vai completar três anos em novembro. Foi o segundo encontro para buscar uma solução. No primeiro, um dossiê do caso foi apresentado com a presença de familiares das vítimas.
Nesta quinta, o jogador Neto, um dos seis sobreviventes, falou emocionado sobre a falta de respeito com as famílias. O debate acabou sem acordo. A novidade é um encontro marcado para a próxima terça-feira, com o presidente da República Jair Bolsonaro, para tentar avançar no pagamento. Foram 71 mortos, entre jogadores, comissão técnica, dirigentes, jornalistas e tripulação.
O impasse entre as vítimas, a Lâmia e a seguradora é pelo pagamento do apólice dos US$ 300 milhões que estariam no contrato. A empresa de advocacia Clyde e Co, contratada pela seguradora, alega que o local da queda do avião, na Colômbia, não fazia parte da área de cobertura.
Cresça e apareça divulgando aqui.


Nenhum comentário: