99.5FM Currais Novos - RN

terça-feira, 29 de outubro de 2019

PM CONFUNDE ATORES COM BANDIDOS E RENDE JOVENS DURANTE PEÇA DE TEATRO A CÉU ABERTO NA GRANDE NATAL


  Por G1
 RN — POLICIAL.
Um grupo evangélico foi abordado por policiais militares durante uma encenação teatral a céu aberto no conjunto Cidade das Flores, em São Gonçalo do Amarante, Grande Natal. Os PMs confundiram a peça realizada pelos jovens religiosos com uma cena de crime. A situação foi filmada.
Nas imagens, os policiais aparecem chegando à rua em que estava acontecendo a peça de teatro e rendendo os participantes. Os atores empunhavam uma arma de brinquedo que fazia parte do contexto da encenação.

 O advogado Luiz Henrique Hollanda, que integra os voluntários da Agência Missionária Impacto Radical (Agir) – organizadores do evento – explica que para a realização da peça os órgãos de trânsito, meio ambiente, educação e também de segurança foram oficiados para que tomassem conhecimento do que seria feito. Além disso, havia, no local, integrantes da Agência Missionária segurando cartazes, informando sobre as peças, como aparece no vídeo.

O caso aconteceu no sábado (26), segundo dia do evento “Teen Impacto”, que aconteceu entre a sexta (25) e o domingo (27).

O advogado Luiz Henrique Hollanda explica que o Teen Impacto é voltado para os jovens de comunidades periféricas. A proposta é levar esquetes às ruas, representando cenas de violência urbana, como assassinatos, o envolvimento de adolescentes com o tráfico de drogas e a violência sexual no meio familiar.

A ideia é debater os temas junto à população da comunidade para evitar que essas pessoas sejam submetidas a situações semelhantes.

“O Teen Impacto se dá num formato de teatro evangélico, que tem como plano de fundo a guerra entre grupos de traficantes e milicianos, com a simulação e encenação em locais públicos e privados (cedidos em completo apoio dos proprietários e moradores da região), e a participação de pessoas cristãs caracterizadas (não são bandidos) e, como tal, portando simulacros de armas de fogo inofensivas, drogas falsas, interpretações de violências e gangues”, explica o grupo em nota enviada à imprensa.

No entanto, a polícia foi acionada com a denúncia de que criminosos armados circulavam pelo bairro. Uma equipe foi mandada ao local e se deparou com os jovens, confundindo-os com bandidos. Foi aí que se deu a abordagem.

O pastor Alex Alves dos Santos, coordenador geral do evento, foi comunicado do ocorrido e seguiu até o lugar em que os PMs renderam o grupo de jovens. Segundo ele, levou todos os ofícios que haviam sido protocolados para a realização do Teen Impacto e mostrou aos policiais. Após a conversa, todos foram liberados.

A reportagem procurou a Polícia Militar para que se posicionasse sobre o ocorrido, porém, até a última atualização desta matéria, não obteve retorno.

“Eu condeno a atitude? Condeno. Mas quem são os culpados? Talvez o sistema de segurança pública seja o maior culpado por tudo isso. Então você culpar três PMs que estavam de serviço, achando que aquilo é real, eu acho muito pesado. Houve erro, mas isso talvez tenha sido gerado pela questão da violência que vivemos”, pondera o pastor.

Teen Impacto

O pastor Alex dos Santos diz que o evento proposto pela Agir integra membros de diferentes igrejas evangélicas. “A ideia é mostrar essa realidade de violência a esses jovens, para que, com esse choque de realidade, eles não se aproximem desse tipo de situação”, acrescenta.

O evento é realizado há quatro anos e atualmente está presente em 13 cidades brasileiras. Nesta edição, em São Gonçalo do Amarante, 127 integraram o projeto como participantes da experiência e outras 239 pessoas atuaram no suporte ao evento.

O pastor Ellielson Costa de Souza, que também coopera com o Teen Impacto, conta que os ofícios para solicitação da realização foram protocolados há, aproximadamente, 30 dias. “Além disso, todos os adolescentes que participaram, com idades a partir de 12 anos, tiveram autorização prévia dos pais, por escrito”, afirma. A próxima edição está marcada para acontecer no mês de janeiro.


Nenhum comentário: