99.5FM Currais Novos - RN

sábado, 20 de abril de 2019

CHUVA ACOMPANHA VENTO DE ATÉ 100 KM/H, CAUSA DESTRUIÇÃO EM TIMBAÚBA DOS BATISTAS.

Por chagas silva, DRT 1845/RN  imagens cedidas
RN-CIDADES. - Foi registrado no inicio do entardecer deste sábado, dia 20, uma forte chuva nesse sábado, ocorrida na cidade de Timbaúba dos Batistas segundo os registros, chegaram a 100KM/hs, a força do vento arrancou árvores e derrubou telhados de residências.
Informações também tão conta que muros não suportaram os fortes ventos e  caíram com a força do temporal.
Os pluviômetros chegaram a marcar mais de 50 milímetros de chuva até o início do entardecer. Torre de transmissão de dados (internet) também foi derrubada pela força do vento que acompanhou a chuva.


SUSPEITO DE TENTAR ESTUPRAR CRIANÇA DE 7 ANOS FOI PRESO NO INTERIOR DO RN


Por Chagas Silva, DRT 1845/RN 

RN-POLICIA. - A Polícia Militar foi acionada por volta das 20hs40min desta sexta-feira, dia 19, no chamado a policia foi informado de uma tentativa de estupor pratico contra uma criança do sexo feminino de 7 anos de idade, uma viatura foi encaminha até local informado. O crime aconteceu no município de Santo Antônio do Salto da Onça, aproximadamente  de 70 KM da Capital Natal. De acordo com os relatos, o suspeito é um servidor público municipal.

De acordo com a Polícia Militar, a menina brincava próxima a uma quadra, no centro da cidade, quando o homem a pegou pelo braço e puxou a criança em direção a uma região mais escura, perto de um posto de combustíveis.
A ação foi flagrada pelo pai da criança que gritou, Diante da reação do responsável pela criança, o suspeito soltou a menina e correu.

De coma relatos da polícia militar, o pai da criança ainda viu o momento em que o elemento tocou as partes íntimas da criança. Acionada pelos familiares da vítima, a equipe do Pelotão local da Polícia Militar de Santo Antônio,  fizeram buscas na região e prendeu o suspeito. Ele foi encaminhado à Delegacia de Plantão em Pipa, em Tibau do Sul, no Litoral potiguar e logo apos trocar dois dedos de prosa com a autoridades policia de plantão, o mesmo  ficou preso, à disposição da Justiça.

VENDEDOR DE FOGOS DIZ QUE PERDEU R$ 10 MIL EM ROUBO NESSE SÁBADO NA CIDADE DE CAICÓ


RN – POLICIA. - Um vendedor de fogos de artifício disse ter tido um prejuízo perto dos 10 mil reais na manhã desse sábado. Vítima foi abordada por uma dupla armada de Revólver, no bairro Paraíba, Zona Centro Oeste da cidade de Caicó.

A vítima disse a pessoas próximas que teve ao menos 10 mil reais roubados, contudo não confirma o mesmo valor à polícia. A PM tomou diligências no sentido de encontrar os culpados ou informações que os levem à prisão.

O trabalho da polícia no combate e repressão ao crime, especialmente àquele que diz respeito ao tráfico de drogas, continua sendo o foco da Polícia Militar e Civil na cidade de Caicó. O crime será investigado pela PC.
Jair Sampaio

VÍDEO: CARRO DESGOVERNADO INVADE COMERCIO NA AVENIDA SILVIO BEZERRA EM CURRAIS NOVOS

Por Chags Silva, DRT 1845/RN. Vídeo cedido.


RN-TRANSITO-A informação que chega da conta de um acidente de transito registrado no início da tarde deste sábado, dia 20, segundo o nosso informante, o repórter Asa Negra.

De acordo com o repórter, um veiculo provavelmente desgovernado invadiu um comercio na avenida Silvio Bezerra, nas imediações do colégio Salustiano em Currais Novos, o acidente aconteceu por volta das 13hs deste sábado dia (20).



O veiculo de marca Ford, modelo Ford K veículo,  placas, MYX-9329 Natal, o carro era conduzido por um senhor que não teve o nome revelado, de aproximadamente 70 anos.

Consta ainda que o mesmo perdeu o controle do veículo e invadiu um estabelecimento comercial  de acordo com informações de pessoas que estavam no local e repassaram para o Nosso Asa, o mesmo apresentava sinais de embriagues. O condutor não sofreu ferimentos.



HOMEM PRESO EM PICUÍ ACUSADO DE AGRESSÃO E ESTUPRO DAS FILHAS DE 13 E 14 ANOS


 PB-POLICIA - Foi preso no final da manhã da última terça-feira (16) na cidade de Picuí, Seridó paraibano, o popular conhecido por "Galego" (Foto), morador do Bairro Cenecista. De acordo com informações extraoficiais que foram repassadas a reportagem do Picuí Hoje, pela Polícia Civil, o acusado foi preso em flagrante delito, inicialmente, por agressão física contra sua própria filha de 14 anos, a adolescente B.K.G.S, confirmada através de exame de Corpo de Delito, logo após uma guarnição do 9º Batalhão de Polícia Militar da Paraíba, tê-lo conduzido à Delegacia Especializada em Atendimento à Mulher (DEAM) de Picuí.

Ainda de acordo com as informações, tanto a vítima acima mencionada, quanto sua outra irmã, a adolescente V.N.G.S., de 13 anos, revelaram ao comandante da guarnição que eram abusadas sexualmente pelo próprio pai, e que, inclusive, chegaram a manter relações sexuais com o mesmo contra suas vontades.

De acordo com o depoimento das adolescentes, o pai lhes dizia que era "normal" isso ocorrer, e as ameaçava de bater ou proibir de saírem de casa, caso revelassem o crime para alguém, e acabava as convencendo a permitir o ato.

Segundo a adolescente B.K., os abusos iniciaram ainda quando a mesma tinha 7 anos de idade, e eram apenas carícias no órgão genital e nos seios, mas após completar 10 anos, foi consumada a relação sexual, sendo a última ocorrida no dia 07 do corrente mês.

Já com a adolescente de V.N., os abusos também iniciaram com carícias, há cerca de dois anos, pois a mesma não residia na mesma casa que seu pai, e desde janeiro do corrente ano, seu pai passou a manter relação sexual com ela, tendo a última ocorrido no último dia 04 do corrente mês.

Por incrível que pareça, as adolescentes não sabiam que ambas eram vítimas, mas revelaram que, em algumas situações, os abusos ocorriam quando todos estavam dentro de casa. A adolescente V.N. revelou ainda que sua mãe havia flagrado seu pai com o pênis ereto e de cueca lhe fazendo carícias na madrugada do mesmo dia, o quê ensejou sua prisão por "estupro de vulnerável", bem como pelas agressões contra sua irmã B.K., que foi vitimada quando tentava defender sua mãe de uma possível agressão de seu pai, pois estavam discutindo sobre o ocorrido com V.N.

As vítimas foram assistidas pelo Conselho Tutelar do município ‒ que agiu de maneira a evitar que novos abusos pudessem ocorrer. As vítimas foram logo encaminhadas ao serviço de atendimento a emergências de violência sexual na cidade de Campina Grande, bem como para realização de exame para constatação das relações sexuais no Núcleo de Medicina Legal do Instituto de Polícia Científica.

"Galego" foi preso em flagrante delito e logo encaminhado à Cadeia Pública de Picuí, onde encontra-se à disposição da justiça. Ele já respondeu por crime semelhante praticado anteriormente, tendo sido preso e encontrava-se em progressão de pena. A Polícia Civil está verificando a responsabilidade da mãe das adolescentes referentes aos fatos narrados pelas mesmas.


Portal Picuí Hoje com 13ª DSPC de Picuí/PB


 

sexta-feira, 19 de abril de 2019

O MONTE DO GALO RECEBE UM GRANDE NÚMERO DE ROMEIROS NESTA SEXTA-FEIRA SANTA

Por Toscano Neto

RN-EVENTOS - O Monte do Galo em Carnaúba dos Dantas-RN, nesta Sexta-Feira Santa, dia 19, recebeu a visita de centenas e centenas de Romeiros, pessoas que anualmente neste período da tarde, vem assistir na Praça dos Romeiros a Encenação da Paixão de Cristo.

Às 15:00hs. Aconteceu na Capela de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro a Celebração Litúrgica da Paixão, Morte e Ressurreição do Senhor e em seguida a Encenação da Paixão de Cristo, que este ano foi apresentado pela 45ª vez consecutiva.


A Encenação da Paixão de Cristo foi transmitido ao vivo pela TV Web Carnaúba e pela Rádio Rural AM Parelhas, através do Repórter Toscano Neto.

EVANGELHO DO DIA: (JO 18,1–19,42) - SEXTA-FEIRA, 19 DE ABRIL DE 2019


DESTAQUE-Narrador 1: Paixão de nosso Senhor Jesus Cristo, segundo João.

Naquele tempo, Jesus saiu com os discípulos para o outro lado da torrente do Cedron. Havia aí um jardim, onde ele entrou com os discípulos. Também Judas, o traidor, conhecia o lugar, porque Jesus costumava reunir-se aí com os seus discípulos. Judas levou consigo um destacamento de soldados e alguns guardas dos sumos sacerdotes e fariseus, e chegou ali com lanternas, tochas e armas. Então Jesus, consciente de tudo o que ia acontecer, saiu ao encontro deles e disse:

Pres.: “A quem procurais?”

Narrador 1: Responderam:

Ass.: “A Jesus, o Nazareno”.

Narrador 1: Ele disse:

Pres.: “Sou eu”.

Narrador 1: Judas, o traidor, estava junto com eles. Quando Jesus disse: “Sou eu”, eles recuaram e caíram por terra. De novo lhes perguntou:

Pres.: “A quem procurais?”

Narrador 1: Eles responderam:

Ass.: “A Jesus, o Nazareno”.

Narrador 1: Jesus respondeu:

Pres.: “Já vos disse que sou eu. Se é a mim que procurais, então deixai que estes se retirem”.

Narrador 1: Assim se realizava a palavra que Jesus tinha dito:

Pres.: “Não perdi nenhum daqueles que me confiaste”.

Narrador 2: Simão Pedro, que trazia uma espada consigo, puxou dela e feriu o servo do sumo sacerdote, cortando-lhe a orelha direita. O nome do servo era Malco. Então Jesus disse a Pedro:

Pres.: “Guarda a tua espada na bainha. Não vou beber o cálice que o Pai me deu?”

Narrador 1: Então, os soldados, o comandante e os guardas dos judeus prenderam Jesus e o amarraram. Conduziram-no primeiro a Anás, que era o sogro de Caifás, o Sumo Sacerdote naquele ano. Foi Caifás que deu aos judeus o conselho:

Leitor 1: “É preferível que um só morra pelo povo”.

Narrador 2: Simão Pedro e um outro discípulo seguiam Jesus. Esse discípulo era conhecido do Sumo Sacerdote e entrou com Jesus no pátio do Sumo Sacerdote. Pedro ficou fora, perto da porta. Então o outro discípulo, que era conhecido do Sumo Sacerdote, saiu, conversou com a encarregada da porta e levou Pedro para dentro. A criada que guardava a porta disse a Pedro:

Ass.: “Não pertences também tu aos discípulos desse homem?”

Narrador 2: Ele respondeu:

Leitor 2: “Não”.

Narrador 2: Os empregados e os guardas fizeram uma fogueira e estavam se aquecendo, pois fazia frio. Pedro ficou com eles, aquecendo-se. Entretanto, o Sumo Sacerdote interrogou Jesus a respeito de seus discípulos e de seu ensinamento. Jesus lhe respondeu:
Pres.: “Eu falei às claras ao mundo. Ensinei sempre na sinagoga e no Templo, onde todos os judeus se reúnem. Nada falei às escondidas. Por que me interrogas? Pergunta aos que ouviram o que falei; eles sabem o que eu disse”.

Narrador 2: Quando Jesus falou isso, um dos guardas que ali estava deu-lhe uma bofetada, dizendo:

Leitor 1: “É assim que respondes ao Sumo Sacerdote?”
Narrador 2: Respondeu-lhe Jesus:

Pres.: “Se respondi mal, mostra em quê; mas, se falei bem, por que me bates?”

Narrador 1: Então, Anás enviou Jesus amarrado para Caifás, o Sumo Sacerdote. Simão Pedro continuava lá, em pé, aquecendo-se. Disseram-lhe:

Leitor 2: “Não és tu, também, um dos discípulos dele?”

Narrador 1: Pedro negou:

Leitor 1: “Não!”

Narrador 1: Então um dos empregados do Sumo Sacerdote, parente daquele a quem Pedro tinha cortado a orelha, disse:

Leitor 2: “Será que não te vi no jardim com ele?”

Narrador 2: Novamente Pedro negou. E na mesma hora, o galo cantou. De Caifás, levaram Jesus ao palácio do governador. Era de manhã cedo. Eles mesmos não entraram no palácio, para não ficarem impuros e poderem comer a páscoa. Então Pilatos saiu ao encontro deles e disse:

Leitor 1: “Que acusação apresentais contra este homem?”

Narrador 2: Eles responderam:

Ass.: “Se não fosse malfeitor, não o teríamos entregue a ti!”
Narrador 2: Pilatos disse:

Leitor 2: “Tomai-o vós mesmos e julgai-o de acordo com a vossa lei”.
Narrador 2: Os judeus lhe responderam:

Ass.: “Nós não podemos condenar ninguém à morte”.

Narrador 1: Assim se realizava o que Jesus tinha dito, significando de que morte havia de morrer. Então Pilatos entrou de novo no palácio, chamou Jesus e perguntou-lhe:

Leitor 1: “Tu és o rei dos judeus?”

Narrador 1: Jesus respondeu:

Pres.: “Estás dizendo isto por ti mesmo ou outros te disseram isto de mim?”
Narrador 1: Pilatos falou:

Leitor 2: “Por acaso, sou judeu? O teu povo e os sumos sacerdotes te entregaram a mim. Que fizeste?”.

Narrador 1: Jesus respondeu:

Pres.: “O meu reino não é deste mundo. Se o meu reino fosse deste mundo, os meus guardas teriam lutado para que eu não fosse entregue aos judeus. Mas o meu reino não é daqui”.

Narrador 1: Pilatos disse a Jesus:

Leitor 1: “Então, tu és rei?”

Narrador 1: Jesus respondeu:

Pres.: “Tu o dizes: eu sou rei. Eu nasci e vim ao mundo para isto: para dar testemunho da verdade. Todo aquele que é da verdade escuta a minha voz”.

Narrador 1: Pilatos disse a Jesus:

Leitor 2: “O que é a verdade?”

Narrador 2: Ao dizer isso, Pilatos saiu ao encontro dos judeus, e disse-lhes:

Leitor 1: “Eu não encontro nenhuma culpa nele. Mas existe entre vós um costume, que pela Páscoa eu vos solte um preso. Quereis que vos solte o rei dos Judeus?”

Narrador 2: Então, começaram a gritar de novo:

Ass.: “Este não, mas Barrabás!”

Narrador 2: Barrabás era um bandido. Então Pilatos mandou flagelar Jesus. Ass.: Os soldados teceram uma coroa de espinhos e colocaram-na na cabeça de Jesus.

Narrador 2: Vestiram-no com um manto vermelho, aproximavam-se dele e diziam:

Ass.: “Viva o rei dos judeus!”

Narrador 2: E davam-lhe bofetadas. Pilatos saiu de novo e disse aos judeus:

Leitor 1: “Olhai, eu o trago aqui fora, diante de vós, para que saibais que não encontro nele crime algum”.

Narrador 1: Então Jesus veio para fora, trazendo a coroa de espinhos e o manto vermelho. Pilatos disse-lhes:

Ass.: “Eis o homem!”

Narrador 1: Quando viram Jesus, os sumos sacerdotes e os guardas começaram a gritar:
Ass.: “Crucifica-o! Crucifica-o!”

Narrador 1: Pilatos respondeu:

Leitor 1: “Levai-o vós mesmos para o crucificar, pois eu não encontro nele crime algum”.
Narrador 1: Os judeus responderam:

Ass.: “Nós temos uma Lei, e, segundo esta Lei, ele deve morrer, porque se fez Filho de Deus”.

Narrador 2: Ao ouvir estas palavras, Pilatos ficou com mais medo ainda. Entrou outra vez no palácio e perguntou a Jesus:

Leitor 1: “De onde és tu?”

Narrador 2: Jesus ficou calado. Então Pilatos disse:

Leitor 1: “Não me respondes? Não sabes que tenho autoridade para te soltar e autoridade para te crucificar?”

Narrador 2: Jesus respondeu:

Pres.: “Tu não terias autoridade alguma sobre mim, se ela não te fosse dada do alto. Quem me entregou a ti, portanto, tem culpa maior”.

Narrador 2: Por causa disso, Pilatos procurava soltar Jesus. Mas os judeus gritavam:

Ass.: “Se soltas este homem, não és amigo de César. Todo aquele que se faz rei, declara-se contra César”.

Narrador 1: Ouvindo essas palavras, Pilatos levou Jesus para fora e sentou-se no tribunal, no lugar chamado “Pavimento”, em hebraico Gábata”. Era o dia da preparação da Páscoa, por volta do meio-dia. Pilatos disse aos judeus:

Leitor 2: “Eis o vosso rei!”

Narrador 1: Eles, porém, gritavam:

Ass.: “Fora! Fora! Crucifica-o!”

Narrador 1: Pilatos disse:

Leitor 1: “Hei de crucificar o vosso rei?”

Narrador 1: Os sumos sacerdotes responderam:

Ass.: “Não temos outro rei senão César”.

Narrador 2: Então Pilatos entregou Jesus para ser crucificado, e eles o levaram. Jesus tomou a cruz sobre si e saiu para o lugar chamado Calvário”, em hebraico “Gólgota”. Ali o crucificaram, com outros dois: um de cada lado, e Jesus no meio. Pilatos mandou ainda escrever um letreiro e colocá-lo na cruz; nele estava escrito:

Ass.: “Jesus Nazareno, o Rei dos Judeus”.

Narrador 2: Muitos judeus puderam ver o letreiro, porque o lugar em que Jesus foi crucificado ficava perto da cidade. O letreiro estava escrito em hebraico, latim e grego. Então os sumos sacerdotes dos judeus disseram a Pilatos:

Ass.: “Não escrevas ‘O Rei dos Judeus’, mas sim o que ele disse: ‘Eu sou o Rei dos judeus’”.

Narrador 2: Pilatos respondeu:

Ass.: “O que escrevi, está escrito”.

Narrador 2: Depois que crucificaram Jesus, os soldados repartiram a sua roupa em quatro partes, uma parte para cada soldado. Quanto à túnica, esta era tecida sem costura, em peça única de alto abaixo. Disseram então entre si:

Ass.: “Não vamos dividir a túnica. Tiremos a sorte para ver de quem será”.

Narrador 2: Assim se cumpria a Escritura que diz:

Ass.: “Repartiram entre si as minhas vestes e lançaram sorte sobre a minha túnica”.

Narrador 1: Assim procederam os soldados. Perto da cruz de Jesus, estavam de pé a sua mãe, a irmã da sua mãe, Maria de Cléofas, e Maria Madalena. Jesus, ao ver sua mãe e, ao lado dela, o discípulo que ele amava, disse à mãe:

Pres.: “Mulher, este é o teu filho”.

Narrador 1: Depois disse ao discípulo:

Pres.: “Esta é a tua mãe”.

Narrador 1: Daquela hora em diante, o discípulo a acolheu consigo. Depois disso, Jesus, sabendo que tudo estava consumado, e para que a Escritura se cumprisse até o fim, disse:
Pres.: “Tenho sede”.

Narrador 1: Havia ali uma jarra cheia de vinagre. Amarraram numa vara uma esponja embebida de vinagre e levaram-na à boca de Jesus. Ele tomou o vinagre e disse:

Pres.: “Tudo está consumado”.

Narrador 1: E, inclinando a cabeça, entregou o espírito.

Narrador 2: Era o dia da preparação para a Páscoa. Os judeus queriam evitar que os corpos ficassem na cruz durante o sábado, porque aquele sábado era dia de festa solene. Então pediram a Pilatos que mandasse quebrar as pernas aos crucificados e os tirasse da cruz. Os soldados foram e quebraram as pernas de um e depois do outro que foram crucificados com Jesus. Ao se aproximarem de Jesus, e vendo que já estava morto, não lhe quebraram as pernas; mas um soldado abriu-lhe o lado com uma lança, e logo saiu sangue e água.

Ass.: Aquele que viu, dá testemunho e seu testemunho é verdadeiro;

Narrador 2: e ele sabe que fala a verdade, para que vós também acrediteis. Isso aconteceu para que se cumprisse a Escritura, que diz:

Ass.: “Não quebrarão nenhum dos seus ossos”.

Narrador 2: E outra Escritura ainda diz:

Ass.: “Olharão para aquele que transpassaram”.

Narrador 1: Depois disso, José de Arimatéia, que era discípulo de Jesus — mas às escondidas, por medo dos judeus —, pediu a Pilatos para tirar o corpo de Jesus. Pilatos consentiu. Então José veio tirar o corpo de Jesus. Chegou também Nicodemos, o mesmo que antes tinha ido de noite encontrar-se com Jesus. Trouxe uns trinta quilos de perfume feito de mirra e aloés. Então tomaram o corpo de Jesus e envolveram-no, com os aromas, em faixas de linho, como os judeus costumam sepultar.
Narrador 2: No lugar onde Jesus foi crucificado, havia um jardim e, no jardim, um túmulo novo, onde ainda ninguém tinha sido sepultado. Por causa da preparação da Páscoa, e como o túmulo estava perto, foi ali que colocaram Jesus.

— Palavra da Salvação.
— Glória a vós, Senhor.

PREFEITURA OFERTA MAIS DE 90 VAGAS EM CONCURSO PÚBLICO


Os vencimentos ofertados vão de R$ 998,00 a R$ 1.424,02, para trabalhar em carga horária de 30 ou 40 horas semanais
 
PB-ECONOMIA-A Prefeitura Municipal de Itaporanga, localizada no Estado da Paraíba, faz saber que estará realizando um novo concurso público nº 001/2019, visando selecionar candidatos de níveis fundamental, médio e superior, para ocupação de 92 vagas imediatas. O concurso público será organizado e executado pela CPCON - Comissão Permanente de Concursos da Universidade Estadual da Paraíba.

Os cargos com vagas são: Auxiliar de Eletricista, Auxiliar de Serviços Gerais, Agente de Serviços Funerários, Auxiliar de Pedreiro, Capturador de Animais, Eletricista, Encanador, Lavadeira, Mecânico de Veículos, Mecânico de Tratores e Máquinas, Merendeira, Pedreiro, Podador, Vigia, Condutor Socorrista (SAMU), Cuidador, Fiscal de Obras, Inspetor de Alunos, Motorista, Motorista de Veículos Pesados, Operador de Máquinas Operatrizes, Técnico em Radiologia, Engenheiro de Segurança do Trabalho, Fonoaudiólogo, Médico e Profissional em Educação Física.

Os vencimentos ofertados vão de R$ 998,00 a R$ 1.424,02, para trabalhar em carga horária de 30 ou 40 horas semanais.

As inscrições serão aceitas no período de 10h do dia 29 de abril até às 23h59min do dia 26 de maio de 2019, via internet, no endereço eletrônico: http://cpcon.uepb.edu.br. O valor da taxa de inscrição vai de R$ 65,00 a R$ 105,00.

Os inscritos serão selecionados por meio de prova escrita objetiva (todos os cargos) e prática (Condutor Socorrista, Motorista B, Motorista de Veículos Pesados e Operador de Máquinas Operatrizes). A prova objetiva será aplicada na data provável de 14 de julho de 2019, em local e horário a serem divulgados posteriormente.

As provas serão compostas por questões de Português, Matemática, Conhecimentos Gerais, Conhecimentos Específicos, Informática e Raciocínio Lógico, conforme o cargo pretendido.

O prazo de validade do concurso público n.º 001/2019 é de dois anos, podendo ser prorrogado pelo mesmo período a critério da administração.

Concursos no Brasil

MÃE DE VÍTIMA DE FEMINICÍDIO EM JOÃO CÂMARA PEDE JUSTIÇA- VEJA O VÍDEO

RN-JUSTIÇA-Ele não tinha o direito de tirar minha filha de mim. Ela era uma pessoa muito alegre, que contagiava as pessoas”, desabafou a mãe de Februska Emanuely Ferreira, 34 anos, vítima de feminicídio na cidade de João Câmara. O crime chocou os moradores da cidade, localizada na região Agreste do Rio Grande do Norte. A mãe da vítima foi ao Instituto Técnico-Científico de Perícia (Itep-RN) na manhã desta quinta-feira (18), um dia após a tragédia.
Februska Emanuely foi assassinada pelo ex-marido, que não aceitara o fim da relação, com cerca de quatro tiros de arma de fogo em casa, no bairro IPE em João Câmara. Ela deixa dois filhos, que teve com o seu algoz. O homem, que foi identificado como Anderson Cleyton, é servidor ativo da Secretaria de Esporte, Juventude e Turismo (Sejut) em João Câmara

MORRE O ATOR JOÃO MARIA PINHEIRO, ZÉ DA SORTE DO NATALCAP


RN-DESTAQUE-O ator e palhaço potiguar João Maria Pinheiro, conhecido como Zé da Sorte por estrelar os comerciais de tv da loteria Natal Cap,morreu nesta quinta-feira. O ator estava internado no hospital da Liga (Centro Avançado de Oncologia), para tratamento de um câncer. O velório será no Morada da Paz, mas os familiares ainda não divulgaram o horário do velório e sepultamento.
Natural de Jucurutu, o ator tinha 60 anos e foi um dos fundadores do lendário grupo de teatro Alegria, Alegria, que teve seu auge nos anos 80 e 90 como pioneiro do teatro de rua. Também integrava a Charanga do Riso, grupo musical e circense. João era casado com a artista plástica Kátia Dantas, conhecida pelos bonecos gigantes do carnaval de Natal.
Em dezembro do ano passado, o ator foi convidado a integrar o elenco do espetáculo Forró em Pé de Guerra, ao lado de Kleber Teixeira e Alex Ivanovich, seu parceiro do Alegria Alegria e Charanga do Riso. O drama musical escrito por César Ferrario e dirigido por Caio Padilha, foi encenado apenas uma vez, pois o ator estava em tratamento e precisou se ausentar dos palcos.
No Facebook, o ator e dramaturgo César Ferrario se despediu de Pinheiro: “João Pinheiro meu velho, siga bem. O que é o tempo, meu camarada? Meramente um lapso, um breve descuido do universo quando nos dota, esse punhado de matéria de nós mesmos, de uma breve ilusão. Por vezes chamamos de razão, inteligência, lógica... não sei se consigo aderir. Uma narrativa apenas, talvez. De tudo uma única certeza. Até breve meu camarada, e obrigado pela paciência.”
Em sua página, o ator Sávio de Araújo dedicou uma canção ao violão: “Estava aqui em casa, tocando meu violão, quando recebi a triste notícia do falecimento de meu amigo João Pinheiro . Então, João, dedico à você essa canção: “Como diria Manéu” Descanse em paz, meu amigo!”.
A atriz Titina Medeiros, também escreveu que "o teatro potiguar fica menos alegre, menos doce, menos humano, menos amigo sem a presença desse ser humano e artista tão generoso. João Maria Pinheiro você fará falta rapaz, muita falta! Nos nossos palcos, na nossa TV. Uma saudade danada já da sua alegria, da sua leveza. Descanse em paz.  Katia, Clarinha e família, meus sentimentos."
Em nota, a Fundação José Augusto informou que a direção e os seus servidores "lamentam a perda deste artista que encantou milhares de potiguares durante mais de três décadas, através dos grupos Alegria Alegria, Artes e Traquinagens e Charanga do Riso. Segundo informações prestadas pela família. o velório e o sepultamento serão realizados nesta sexta de Páscoa no Cemitério Morada da Paz, em Emaus. A Fundação José Augusto expressa pesar à família deste talentoso ator."
As informações são do Viver 

quinta-feira, 18 de abril de 2019

PAPA FRANCISCO LAVA PÉS DE PRESIDIÁRIOS EM RITUAL DE QUINTA-FEIRA SANTA; veja FOTOS


INTERNACIONAL– Um dos presidiários que passaram pelo ritual foi um brasileiro. Mais cedo, o pontífice celebrou a missa da Quinta-feira Santa na Basílica de São Pedro, no Vaticano.

Por G1
Papa Francisco lava os pés de um preso na prisão Velletri, em Roma, durante as celebrações da Quinta-feira Santa — Foto: Handout/Vatican Media/AFP
 Papa Francisco beija o pé de um presidiário na prisão Velletri, em Roma, durante as celebrações da Quinta-feira Santa — Foto: Handout/Vatican Media/AFP Papa Francisco beija o pé de um presidiário na prisão Velletri, em Roma, durante as celebrações da Quinta-feira Santa — Foto: Handout/Vatican Media/AFP
Papa Francisco beija o pé de um presidiário na prisão Velletri, em Roma, durante as celebrações da Quinta-feira Santa — Foto: Handout/Vatican Media/AFP

O Papa Francisco lavou e beijou os pés de 12 prisioneiros em um ritual tradicional de Quinta-feira Santa, nesta quinta (18), em uma prisão na cidade de Velletri, a cerca de 60km de Roma. Um dos 12 presidiários era um brasileiro, segundo a agência de notícias Reuters, mas o nome não foi divulgado.

Durante o ritual, o pontífice disse a eles que evitem qualquer estrutura de hierarquia interna ou lei dos mais fortes e ajudem uns aos outros. Além do brasileiro, nove italianos, um marroquino e um marfinense tiveram os pés lavados. O Vaticano também não divulgou as religiões deles.


AS RAZÕES DE ALEXANDRE DE MORAES PARA REVOGAR A PRÓPRIA DECISÃO DE CENSURAR REPORTAGEM

BR-POLITICA- A reportagem, da última quinta-feira (11), relata a existência de um documento no qual o empreiteiro e delator da Lava Jato Marcelo Odebrecht afirma que o atual presidente do STF, ministro Dias Toffoli, era o dono do apelido "o amigo do amigo do meu pai" em e-mails de executivos da empresa.
 Ao abrir inquérito, Toffoli designou Moraes para relatar o caso
Como os casos Dias Toffoli e Danilo Gentili reacenderam debate sobre liberdade de expressão

Em nova decisão, o ministro justificou sua atitude anterior dizendo que "esclarecimentos feitos pela Procuradoria-Geral da República não confirmaram o teor e nem mesmo a existência de documento sigiloso" citado na matéria da revista, também reproduzida pelo site O Antagonista.

"Determinei cautelarmente ao site O Antagonista e a revista Crusoé que retirassem matéria já veiculada nos respectivos ambientes virtuais e intitulada 'O amigo do amigo de meu pai'", afirmou o ministro.

Segundo a reportagem, uma cópia do documento havia sido enviada à procuradora-geral da República, Raquel Dodge, "para que ela avalie se é caso ou não de abrir uma frente de investigação sobre o ministro - por integrar a Suprema Corte, ele tem foro privilegiado e só pode ser investigado pela PGR."

De acordo com Moraes, ao ver que a "afirmação jornalística" era incongruente com "os esclarecimento da PGR", pediu "à autoridade competente cópia integral dos autos referidos pela matéria, para verificação das afirmações realizadas".

O ministro continuou argumentando que o documento só foi enviado pelo MPF-PR à Procuradoria na tarde da sexta-feira, 12 de abril. Diante da confirmação do envio, ele afirmou não ser mais necessária a censura.

Moraes afirmou também que não houve censura prévia: "Foi o que ocorreu na presente hipótese, onde inexistente qualquer censura prévia, determinou-se cautelarmente a retirada posterior de matéria baseada em documento sigiloso cuja existência e veracidade não estavam sequer comprovadas e com potencialidade lesiva a à honra pessoal do Presidente do Supremo Tribunal Federal e institucional da própria Corte.".
O inquérito

As decisões do ministro foram tomadas em um inquérito aberto em 14 de março por Dias Toffoli, cujo objetivo era investigar ataques e notícias falsas divulgadas online contra o Supremo e seus integrantes. Alexandre de Moraes foi designado por Toffoli para ser o relator do inquérito.

A investigação, ordenada de ofício pelo ministro, também resultou nesta semana em mandados de busca e apreensão nas casas de usuários do Twitter, além da retirada do ar da reportagem.

Na decisão desta quarta-feira, o ministro defendeu a investigação e negou que ela pretenda restringir a liberdade de expressão. "Os atos investigados são práticas de condutas criminosas, que desvirtuando a liberdade de expressão, pretendem utilizá-la como verdadeiro escudo protetivo para a consumação de atividades ilícitas contra os membros da Corte e a própria estabilidade institucional do Supremo Tribunal Federal", afirmou.

A determinação de Alexandre de Moraes de retirar do ar a reportagem foi tomada no dia 15, quatro dias depois que o material foi publicado.

O texto se baseia em informações prestadas por Marcelo Odebrecht aos investigadores da força-tarefa da Lava Jato. Numa conversa por e-mail entre executivos da empreiteira da família de Marcelo, um deles pergunta se o pai do empresário, Emílio Odebrecht, falaria com o "amigo do amigo", como parte de uma negociação.

Ao ser questionado pelos investigadores, Marcelo Odebrecht disse que o tal "amigo do amigo" seria atual presidente do STF, que na época era advogado-geral da União.

A decisão de Moraes de mandar os veículos retirarem a matéria do ar foi tomada após a PGR dizer que nunca recebeu o documento com a acusação - como dizia a reportagem. O ministro afirmou, por causa disso, que o texto seria fake news. Segundo o entendimento de Moraes, há "claro abuso no conteúdo da matéria veiculada".

No entanto, a Folha de S. Paulo e a TV Globo tiveram acesso ao documento e confirmaram não se tratar de uma notícia falsa. Embora a PGR não tenha recebido o documento, ele foi incluído nos autos da Lava Jato em 9 de abril e retirado depois da publicação da notícia, segundo a Globo. Não se sabe o motivo, já que o processo é sigiloso.