sábado, 26 de dezembro de 2020

    RJ-POLICIAL

      Corpo de juíza morta a facadas pelo ex-marido no Rio será cremado neste sábado

Cerimônia de cremação está prevista para as 10h30 no Cemitério da Penitência, no Caju, Zona Portuária da capital. Assassino teve a prisão temporária convertida em preventiv.

Por G1 Rio


Juíza Viviane Vieira do Amaral Arronenzi tinha 45 anos e exercia a magistratura havia 15; ela foi morta pelo ex-marido na frente das filhas em plena véspera de Natal — Foto: JN

Juíza Viviane Vieira do Amaral Arronenzi tinha 45 anos e exercia a magistratura havia 15; ela foi morta pelo ex-marido na frente das filhas em plena véspera de Natal — Foto: JN

 

O corpo da juíza Viviane Vieira do Amaral Arronenzi, de 45 anos, assassinada a facadas pelo ex-marido na véspera de Natal, será cremado neste sábado (26). A cerimônia de cremação está prevista para as 10h30 no Cemitério da Penitência, no Caju, Zona Portuária da capital.

 

A magistrada foi morta por volta das 18h de quinta-feira (24) na Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio, na frente das três filhas, todas menores de idade.

 

Segundo a Associação de Magistrados do Rio de Janeiro (Amaerj), Viviane Vieira do Amaral Arronenzi era juíza há 15 anos.

 

Atualmente ela trabalhava na 24ª Vara Cível da Capital, mas já tinha atuado na 16ª Vara de Fazenda Pública. Várias entidades da magistratura divulgaram notas de repúdio ao crime. Veja íntegras abaixo na reportagem.


Revista Consultor Jurídico, 25 de dezembro de 2020, 10h32

 

COMENTÁRIOS DE LEITORES

3 comentários

 

NÃO É MESMO INTERESSANTE?

balai (Advogado Autônomo - Civil)

25 de dezembro de 2020, 16h17

 

Ao invés de remeter o caso à Criminologia, a fim de entender o que na relação entre um engenheiro (pessoa das Ciências Exatas) pode ter de incompatibilidade que gere até o desejo de eliminar o interlocutor e uma magistrada, afeita às Ciências humanas que de Ciência não consegue sistematizar sequer o ordenamento constitucional. SEM JUDICIÁRIO INDEPENDENTE E ELEITO PELO VOTO DOS CIDADÃOS NUNCA HAVERÁ DEMOCRACIA NEM O FIM DA ROUBALHEIRA DISTORÇÕES E CORRUPÇÃO.

 

Responder

 

BRASIL

Professor Edson (Professor)

25 de dezembro de 2020, 16h12

 

Entender a justiça do Brasil é muito didático, e para quem deseja uma real punição nesse tipo de feminicídio , é melhor não desejar, pois não vai acontecer, mesmo que seja aplicada a pena máxima de 30 anos por esse crime, teria que cumprir 50% da pena com a nova edição da lei, com os benefícios de bom comportamento estudo, trabalho, resumo de livros e bíblia em 12 anos já receberia a progressão, mas se o judiciário for seguir a jurisprudência dos tribunais em casos idênticos de crimes passionais a pena dificilmente será maior do que 15 anos, com isso em 5 ou 6 anos o assassino já conseguirá a progressão de pena.

 

Responder

 

MAIS PENA NÃO BASTA

isabel (Advogado Assalariado)

25 de dezembro de 2020, 13h23

 

Suas Excelências devem começar combatendo o machismo estrutural q impregna o próprio Judiciário, no qual os juízes são algozes de mulheres

Endurecimento da pena ou certeza de punição não são suficientes para deter a misoginia como bem demonstra esse caso : claro q ele sabia de antemão q , sendo a vítima quem é , ele seria punido e nem por isso se deteve



Nenhum comentário:

Postar um comentário

É livre o direito de pensamentos, todos nós temos o direito de expressar nossas ideias e pensamentos deste que respeitando o direito e a moral dos demais.

Lembrando que a responsabilidade dos Comentários e de quem posta.

Chagas Silva

Postagem em destaque

O SANTUÁRIO DE NOSSA SENHORA DAS VITÓRIAS NO MONTE DO GALO EM CARNAÚBA DOS DANTAS-RN,

      RN-DESTAQUE   tornou-se Patrimônio Imaterial, Histórico, Cultural, Paisagístico, Turístico e Religioso do Rio Grande do Norte.   ...